Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fechamento Maio 2017 (Bruto: R$ 1.023.815,00 (+ 0,20%) - Mais um Degrau Rumo à IF ...

.
.

Salve Família Viver de Construção! Tudo bem com vocês?

Mais um mês que se foi, mais um mês que me aproximou do objetivo principal deste blog: A Independência Financeira.

Não tenho do que reclamar, apenas agradecer a Deus por estar me ajudando tanto nos meus objetivos financeiros.

Era para ser um mês de Fechamento Financeiro com uma leve queda, mas, uma receita prevista para início de Junho entrou hoje em conta, e isto fez a minha alegria! Virei o jogo aos 48 do segundo tempo!

Se os Fundos Imobiliários se manterem estáveis, acredito que daqui há um mês, no fechamento de Junho, terei um grande crescimento patrimonial.

Importante: Ainda não contabilizado o valor real de venda do meu último imóvel, com todos os descontos e impostos, logo, neste mês entra o valor "cheio", considerando meu valor proposto de venda (que era o que eu sempre contabilizava). Realmente, com o desconto que concedi para fechar negócio, terei uma queda considerável, algo em torno de 3 meses de aportes!

É aquela velha máxima: Às vezes temos que dar um passo para trás, para dar dois passos a frente.

Estando líquido, pensarei bem os próximos passos: Construção novamente? Ou aporto 100% em Fundos Imobiliários e atinjo um percentual considerável da renda esperada para a Independência Financeira?

Que dúvida boa ... Que momento bom ...

Estou muito otimista: Acho de verdade que conseguirei ser mais um blogueiro da Blogosfera que poderá dizer: Eu consegui! Sou livre financeiramente!

.
.

Sem mais rodeios:

Patrimônio Total: R$ 1.023.815,00. +0,20%.

E como é de praxe, esta imagem sensacional que evidencia a minha alegria diante de bons resultados que venho obtendo em minha vida, não apenas a financeira.


Obrigado Deus!

Eu não pego nada dos outros: Este patrimônio aqui que eu declaro é fruto do meu esforço, da minha paciência, e não tenho dúvidas que, com a ajuda de nosso senhor Jesus, este valor tende a aumentar.

Na vida eu quero o que é meu, o que eu estudei e batalhei para conquistar! Não quero nada dos outros, eu quero o que é meu por direito!

De qualquer forma, o meu foco é este aqui abaixo, e neste mês de Maio um novo recorde foi alcançado. Ultrapassei por pouca coisa o recorde anterior conquistado em Abril!

Renda Passiva (dinheiro gerando dinheiro): R$ 7.745,99!


Aporte do Mês: R$ 10.420,71 (inclui Dinheiro Novo + Reinvestimento Renda FIIs).

A renda este mês em FIIs apenas bateu recordes, com uma distribuição inesperada em XPGA, que agora esta embutido dentro do MXRF!

Contando com o Reinvestimento da Renda, meu aporte esta ficando muito bom! Comecei aportando R$ 3.000,00, R$ 4.000,00, R$ 6.000,00 e vejam só, agora eu já posso dizer: Aportei R$ 10.000,00! É muito dinheiro! É muito para uma pessoa simples, como eu.

Renda Total do Mês: R$ 17.315,74.

Agora eu já brinco que tenho renda de médico do SUS!

Números I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-I-S!

Quem acompanha meu blog desde o primeiro fechamento lá em 2015, já sabe que esta renda esta quase o dobro do que eu tinha ... Em 2 anos, estou quase duplicando a renda total bruta.

Inteligência. Paciência. Luta. Persistência. Resiliência.

É por isto que estou começando a achar que tenho chances de atingir a Independência Financeira! Meu aporte começou a aumentar, minha renda começou a aumentar. Foco no Aporte!

Se Deus abençoar mais ainda este ano espero que eu consiga ser Promovido em Salário ... Vamos ver!

.
.


Olha este gráfico! Coisa linda.

Só vendo um gráfico assim para perceber o óbvio: A estratégia de focar em valor, parar de ficar girando ativos, usar os Juros Compostos e poupar (sem deixar de viver) funciona!

Juros Compostos existem. Eu estou comprovando isto.

Com todos os percalços e problemas neste mês, os famosos Projetos Digitais: Foram  R$ 405,28 gerados nesta modalidade. Esta bom demais!

Já no âmbito Blog, eu realmente desanimei e não vou migrar para o Wordpress. Queria fazer isto aqui uma fonte de renda acima dos Projetos Digitais, mas, não tenho tempo, não dá. Não sou bom o suficiente. Simples assim.

Atingi a meta para receber mais um cheque do Google, pelo menos ...


 Então, neste próximo mês de Junho, a Renda Digital terá um acréscimo de cerca de $ 108,00, subtraindo dos $ 20,00 que pago ao banco para realizar esta transação.

Num dos posts anteriores eu disse que o blog estava indo rumo ao encerramento, estava bem desanimado no dia, mas, acho que permanecerei sim, mas não conseguirei postar diariamente, mas, sempre vou postar alguma coisa quando der.

O foco deixa de ser "tornar-se um blog rentável" e volta ao ser o que era: Um espaço para eu escrever as minhas histórias. Ponto.

Na Construção, ainda verei o que faço ...

Nos Fundos Imobiliários, continuo firme e forte!

Hoje fiz um aporte alto, quase R$ 7.000,00, mas acabei comprando apenas FIIs (não consegui comprar Ações). Deixo para uma próxima postagem.

.
.

Um abraço a todos e excelente semana.

.
.

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO

terça-feira, 30 de maio de 2017

Rumo ao Primeiro Fechamento com Prejuízo: Onde Perdi este Dinheiro?

.
.

Olá.

Acho que este será o meu primeiro fechamento negativo em meses.

Apesar da pequena queda, isto foi bem interessante, pois me fez repensar no que fiz neste mês.

Mesmo sendo um mês onde tive, talvez até agora, a minha maior renda (Salário + Bônus + Rendimentos), eu consegui a proeza de fechar negativo.

Até eu mesmo fiquei sem entender.


 Onde teria o meu dinheiro ido embora? Onde devo fechar a torneira?

Bom, a primeira coisa que me veio a mente foi justamente o dia do “Circuit Breaker” na bolsa de valores, mas, apesar de eu ter tido uma grande queda no dia, nos dias seguintes toda a queda foi absorvida e os preços voltaram ao normal.

Primeira análise, coerente. Não foi aqui que meu dinheiro se esvaiu.

Lembrei de um evento importante: Vendi a minha última casa.

Evento 1: Venda de Imóvel – Pagamento da Corretagem à Vista.

Depois de uma negociação muito chata com um cliente muito chato, por intermédio da imobiliária, acabamos fechando a venda.

O cliente bateu o pé e eu tive que conceder um desconto maior do que eu gostaria, na verdade praticamente cedi 100% ao pedido do cliente, visto que optei por dar um passo atrás agora (vender com menor lucro) para dar dois passos a frente (o desconto dado, aplicado este dinheiro em 4, 5 meses eu recupero, ou melhor, posso dar início ao planejamento de uma próxima obra).

A venda só foi concretizada pois a imobiliária, ou melhor, o corretor, aceitou reduzir a corretagem dos atuais 5% para a metade, desde que eu efetuasse o pagamento à vista. Foi o que eu fiz.

Não revelarei os valores, mas, este capital saiu à vista da minha conta bancária.

Não recebi nem mesmo uma entrada. Para fechar negócio aceitei receber tudo 100% através de financiamento Caixa.

Este sim foi um evento que reduziu meu capital. Parte da redução esta explicada.

Importante citar: Eu não acho ruim pagar corretor e corretagem. Nada mais justo do que isto. Ele (corretor) vende, eu pago. Simples assim.

Evento 2: Redução de Contrato de Locação de um dos Prédios do Fundo Imobiliário FAED – Anhanguera Educacional

Quem quer rir, tem que fazer rir. E algumas vezes pode chorar.

Não vou colar o gráfico aqui, mas digo que FAED chegou a flertar com R$ 250,00 por cotação (ué VDC, preço não importa???), mas caiu, para uns R$ 225,00, R$ 220,00, e após a notícia de redução de aluguel chegou a cair abaixo de R$ 200,00. Agora esta mais ou menos neste patamar, com previsão de maior queda (eu acho).

De qualquer forma, revisão de contrato faz parte do jogo, ainda mais em momento de crise, e acho pertinente manter posição neste Fundo Imobiliário, que até gosto bastante, pois os fundamentos permanecem bons, na minha opinião, e não é uma simples redução de renda que me fará mudar de opinião, muito menos baseado em variação do preço da cotação.

Este evento contribuiu com uma redução no portfólio, logo, é mais um dos motivos que explicam a queda.

Evento 3: Subscrição BCRI – Banestes Recebíveis Imobiliários

Bom, neste aqui é apenas uma questão de tempo mesmo.

.
.

Analisando por que este montante inteiro recebido no mês não me gerou um saldo positivo e um super fechamento (digo que eu mesmo estava mais do que animado em ter um super fechamento neste mês, baseado na renda que tive, sem contar com estes detalhes acima e este), e lembrei que, no portfólio total de Fundos Imobiliários, como estas cotas ainda não foram integralizadas, elas ficam com valor R$ 0,00 em minha custódia.

Este valor é quase o que paguei de corretagem logo, foi mais um evento que contribuiu para a minha queda neste mês.

Bom, tudo explicado, hora de determinar os próximos passos da estratégia.

Vou criar uma postagem específica, comentar um pouco o texto do amigo e blogueiro Corey Investidor sobre seu último artigo (clique no meu blogroll para conferir a desistência dele do empreendedorismo – vale muito a pena), e digo que, baseado neste texto dele, eu também parei de analisar qualquer possibilidade de criar empresa ou adquirir empresas.

Não tenho tempo, não tenho animação, quero fazer o mínimo possível de esforço para atingir a Independência Financeira.

Eu já trabalhei, já batalhei demais, agora vou deixar a vida me levar, sem brincadeira, sem sacanagem, vamos no mesmo ritmo, mas estou ficando velho, e preciso me cuidar, e ter menos preocupações na vida.

O que eu pretendo fazer? Se eu não quero montar minha própria empresa, logicamente continuarei trabalhando como empregado (por enquanto, se eu não estressar de vez e pedir demissão) e agora avaliarei apenas uma coisa que esta em minha mente: Comprar participação nas empresas de outras pessoas.

Eu não quero administrar.

Eu só quero entrar com meu dinheiro e receber dividendos.

A bolsa de valores permite isto: Comprar Ações.

Continuarei comprando parte do meu aporte em Fundos Imobiliários, mas, Ações e até mesmo, quem sabe, empresas reais, poderão entrar na minha análise.

Entendi que, no meu momento atual de vida, eu não preciso correr tanto para aumentar a Renda Passiva.

E analisarei friamente se volto mesmo ao mercado de Construção.

Sinceramente, me tornar mais um Construtor do Minha Casa Minha Vida não me deixa nem um pouco animado, mas é isto que esta vendendo atualmente ...

Sinuca de bico ...

Fato é: Estou cansado. Muito cansado.

Esta minha batalha começou a muito tempo, venci a primeira parte, consegui atingir um milhão em bens, mas me faltam forças para continuar lutando ...

Só torço para que meu dinheiro atual se torne meu exército e lute esta batalha por mim.

Só os Juros Compostos e Deus poderão me salvar ...

.
.

Um abraço e até a próxima postagem


VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO.

.
.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Pronto para Voltar ao Mercado de Ações + Patrimônio Normalizado Após Dia do Circuit Break da Bolsa de Valores

.
.

Caríssimos Senhores do Milhão. A Luta Continua! Sempre!

Então, dei uma afastada aqui do blog por motivos de tempo mesmo.

Vou tentar estipular uma frequência de postagens, grandes chances de ser Quarta-Feira às 18:00 e Sábado às 18:00.

Meu trabalho tem me tomado muito tempo, daqui há alguns dias vou para a Europa (quem diria, eu falando isto com a maior naturalidade do mundo), bem provavelmente terei mais duas viagens próximas, para a américa do sul e no Brasil mesmo, mas isto esta para depois.

Bom, para quem leu minha postagem no “Dia do Pânico”, onde a bolsa caiu uns 12%, deu Circuit Break e bla bla bla, vocês sabem que eu não fiz nada, não movimentei, não comprei (por falta de dinheiro líquido) e não vendi.

Finalmente, me sinto preparado para voltar a comprar ações.

Como o dinheiro da construção fica separado, é um capital específico, como se fosse de uma empresa minha, então acredito que posso direcionar uma parte dos meus aportes para comprar algumas ações de empresas que eu gosto, acho bons os fundamentos e acredito que, poderei manter meu capital para ser bonificado com dividendos e reinvestir.

Olha que coisa interessante: No dia do pânico, acho que no auge cheguei a perder uns R$ 14.000,00 do valor do meu patrimônio investido em Fundos Imobiliários.

Não fiz nada, e fechou sei lá, com perda de uns R$ 8.000,00.

Nesta data, confirmo a todos que, a minha carteira voltou exatamente ao valor que estava antes do dia do pânico, ou seja, mesmo sem entrar aluguéis, as cotações foram se ajustando novamente, a galera caiu na realidade, e voltou ao normal.

Minto na parte acima apenas por um motivo: FAED – Anhanguera Educacional.

Teve uma revisional neste fundo que reduziu em uns 11% os rendimentos mensais, de um dos prédios, logo, a “manada” correu e saiu vendendo em leilão, logo, caiu uns 10%, depois fechou a uns 7% de queda.

Com certeza deve cair um pouquinho mais quando divulgarem a primeira renda já com a redução.

Eu tenho uma posição boa neste FII.

O que vou fazer? Nada.

Na verdade agora a pendência esta comigo: Eu que tenho que aportar mais para voltar a receber estes 11% de queda nos rendimentos dele (não necessariamente vou comprar FAED, só preciso aportar pra ter estes 11% de novo em renda).

.
.

Já passei por isto em NSLU, se não viram,  basta pesquisar no Google “Viver de Construção + NSLU” ou mesmo aqui no blog pra ver que tive o mesmo “problema” numa revisional na justiça, onde a renda caiu 20%, e a cotação despencou.

Como aumentei minha posição em NSLU nesta queda, não pra fazer preço médio nem nada, mas sim por gostar do FII, com a queda da Selic a galera se lembrou dele e a cotação subiu, ultrapassando meu “preço médio”, que não serve para porcaria nenhuma.

Eu quero é renda!!!

FAED reduz a renda, mas garante o inquilino. Nada demais. Isto é normal, afinal, estamos em crise.

 O blog do terror (Tetzner) botou pilha, zombou dos cotistas, falou mal do BTG (já esta até chato), mas no final das contas tudo se ajeita baseado do DY (Dividend Yield), ou seja: Se o FII pagava 0,8% com cota X, se reduziu 10% o DY normalmente a cota reduz 10% para se adequar ao novo DY. O mercado de FII funciona assim aqui no Brasil.

A cada dia tenho mais certeza de que devo me dedicar ao meu trabalho e a aumentar a minha renda passiva, e a conferir menos o mercado.

Repito: Estou preparado para voltar ao mercado de ações.


 Já tenho duas ações queridinhas para comprar, mas só revelo depois que fizer a minha ordem de compra, afinal, não quero indicar nada e fazer a cotação disparar (kkk, to zoando, eu sei).

Se uma queda de R$ 14.000,00 não me fez vende tudo no pânico, e nem a queda de uns 15% de FAED, NSLU, BRCR que já passei, eu vejo que sim, estou preparado.

É o Viver de Construção retornando ao mercado de ações, talvez já no próximo aporte, se bem que os FIIs da Griffo estão querendo receber mais dinheiro meu ....

Um abraço e até a próxima, seus milionários!

.
.

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO

terça-feira, 23 de maio de 2017

Quanto Mais Eu Trabalho Menos Dinheiro Eu Ganho

.
.

Olá a todos,

R$ 15.700,00.

Se hoje fosse dia de fechamento patrimonial, contando as rendas previstas para a entrada do mês, seria este o número que eu contabilizaria em meu patrimônio: R$ 15.700,00.

Uma hora bem interessante no Plano de Independência Financeira: Os rendimentos passivos, ou seja, aqueles provenientes de aplicações financeiras ou demais rendimentos que meu próprio patrimônio gera ultrapassaram de forma assustadora os rendimentos que eu tenho com meu Salário.

É mais uma notícia espantosa que eu tive, num momento de muito estresse no trabalho, onde decidi simplesmente parar.

Se eu tenho tanta coisa para fazer, vou me dar alguns minutos de descanso, vou fazer o que dá, e seja o que Deus quiser.

Não estou escrevendo muito sobre o meu Trabalho, até queria ter um blog menos pessoal, mas, estes registros que eu faço são importantes e me darão uma visão de como eu estava durante esta longa caminhada rumo à Independência Financeira.

Quanto maior a minha Renda Passiva, maior a vontade de chutar o balde no Trabalho e arrumar um problema: Ter que me reinventar sem emprego, buscar empreender puramente (pois sou um empreendedor parcial: Empreendo em Construção e outras vertentes digitais, mas me mantenho em meu Trabalho).

Não esta sendo muito fácil.

Quanto mais eu cresço, mais pressão, mais reuniões chatas, intermináveis, apresentações para diretor Y, para CEO X, um saco.

Eu não quero ficar criticando meu Trabalho, pois dependo dele e muito do que conquistei veio daqui.

Mas ultimamente esta muito difícil, muita pressão, projetos simultâneos, gente de outros países chatas.

Agendaram reunião comigo amanhã às 04:00. Lógico que não vou participar, pelo menos me deixaram como opcional no convite.

Em Junho, novamente, ficarei uns 10 dias na Europa.

Não estou nem um pouco animado, para ser bem honesto, preferia mil vezes ficar aqui.

Perco dois finais de semana, perco meu futebol de sábado, perco 1 semana de natação e academia, perco o convívio com a família.

Em contrapartida ganho 1 semana num país civilizado, onde podemos andar com o celular e carteira às 23:00 da noite sem estar morrendo de medo de ter uma arma apontada na cabeça e ouvir a frase “Perdeu, perdeu, perdeu playboy”.

R$ 15.700,00.

É este número que eu preciso lembrar.

O que eu, com toda a minha ignorância e burrice, conseguiu gerar neste mês, que ainda nem fechou, talvez eu consiga, quem sabe, chegar a R$ 16.000,00 ... Depende da reestruturação que estou fazendo aos poucos nos Projetos Digitais.

.
.

O projeto Blog Viver de Construção eu desisti, sinceramente.

Ficar ganhando 1, 2 dólares por dia nos dias de pico é muito pouco pelo trabalho que dá postar, revisar.

A ideia de migrar para Wordpress (concordo que isto aumentaria a renda, talvez, escrevendo posts melhores, um site com domínio próprio), mas, sinceramente, entre ganhar 10 Dólares por dia com blog, eu prefiro ganhar meus R$ 30,00 nos Projetos Digitais.

Acredito eu que, apesar de ter uma queda de Patrimônio, afinal, acabo de girá-lo vendendo a última casa construída e pagarei o preço do giro (corretagem + impostos), a tendência é um aumento de renda passiva.

Não sei até quando conseguirei manter o pé no acelerador para manter a renda alta desta forma.

Pode até ser mixaria para alguns, mas, R$ 15.700,00 líquidos num mês, pra mim é um número absurdo, inimaginável.

Fruto de quem? Juros Compostos ...

Quando atingi R$ 10.000,00 foi uma alegria ...

R$ 11.000,00 ...

R$ 13.000,00, algo que até hoje acho alto pra caramba.

E neste mês: Quase 16.000,00 até o momento.

Uma coisa eu sei: O caminho dos blogueiros que atingiram a marca de 1 milhão foi esta mesmo, ou seja, aportes altos e tempo. Continuaram seguindo a estratégia deles, independente do que ocorreu, salvo um deles que migrou a estratégia para o Tesouro Direto, que foi o certo para ele.

Posso dizer que agora estou tendo um aporte alto, uma renda muito boa, sem dívidas, então preciso me lembrar disto.

O último post que deu na cabeça de publicar seria algo como “Meu dinheiro não vale nada”.

Se pensarmos bem, 1 milhão hoje em dia não é muita coisa assim, ainda mais pra mim que inclui o imóvel próprio e carro neste valor.

Por que eu digo isto: Se eu quiser trocar meu apartamento num top de linha, sei lá, 600 mil: Eu já reduziria uns 350K no meu “milhão” imaginário.

Aí decido comprar uma Hilux pra combinar com o apartamento novo e chique: Menos 100K ... Comprando usada.

Já voltei pra metade do milhão ...

Eu não sei o que vou fazer da minha vida após esta última venda de imóvel.

Meu lado empreendedor pensa em arriscar: Hora de construir um prédio de 4 andares, simples, 2 quartos, 1 banheiro, e começar um nível novo na construção.

Fazer isto sozinho é quase um suicídio financeiro.

A maioria faz com parcerias ...

E talvez eu tenha um possível parceiro: Ele entra com o lote, sendo o valor do lote um percentual.

Eu construo.

Checamos quanto cada um gastou (ele com lote, eu com a construção completa).

Definimos o % e após vendendo cada unidade, cada um retira sua parte.

Exemplo: 70% do custo foi meu, 70% do lucro é meu. O restante é dele.

Mas, não sei se é hora. Ter “parceiro” não é muito minha praia, literalmente, prefiro ir sozinho mesmo.

Talvez manter este dinheiro aplicado em TD Selic (possivelmente farei isto no início, ou mesmo uns 2, 3  meses em Poupança pra eu ganhar rendimento e pensar).


Só não sei se voltarei a construir, e se voltar, quando ...

As coisas tem melhorado, mas gerenciar uma  obra nesta altura do campeonato, com minha vida profissional toda bagunçada, será bem difícil ...

.
.

Quanto mais eu Trabalho, menos tempo eu tenho para viver e ganhar dinheiro ...


Um abraço a todos

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO
.
.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sobrevivi ao Circuit Breaker da Bolsa de Valores - "Perda" Mínima e Oportunidade nos Fundos Imobiliários

.
.

Olá amigos,

Como sempre, devendo respostas nos posts anteriores (responderei a medida que tiver tempo e agradeço a participação de sempre).

Eu quero falar algo rápido baseado nesta imagem aqui:


Não analisei Fundamentos da Cemig (CMIG4) para dizer se é uma boa empresa ou não, mas, ela foi uma ação que me chamou a atenção com a queda vertiginosa de 43%, na mínima de ontem (fechou com queda de uns 20%).

Que me perdoe quem discorda, mas, a Metodologia Bastter para o histórico Circuit Breaker de ontem, mais uma vez provou ser a melhor a melhor amiga do pequeno investidor.

Quem seguiu os seus conselhos (e os meus inclusive), não fez nada na bolsa de valores.

Em dias assim não é bom vender nada, e muito menos fazer ‘trade’.

Se eu tivesse dinheiro ontem, teria feito a festa (isto me mostra a importância de ter uma reserva líquida aplicada para este acontecimentos).

O que eu fiz? Foquei no meu Trabalho! Não tenho nada a fazer, sigo comprado e feliz com meus Fundos Imobiliários.

Comecei o dia tomando uma benga enorme de prejuízo, acho que chegou a uns R$ 14.000,00 na manhã.

Mas, após, o mercado ficou menos volátil e acabei fechando com perdas estimadas em R$ 5.800,00.

O meu título ontem foi um pouco apelativo, meio que uma brincadeira mesmo.

Neste momento, olhei rapidamente, e este “prejuízo virtual” já foi reduzido para uns R$ 3.800,00 a R$ 4.200,00.

Ou seja, menos de um mês de aporte ...

Ou dois meses de rendimentos e mais um pouco ...

Por que este “prejuízo virtual” não afeta em nada?

.
.

Os prédios continuam de pé.

Os juros continuam sendo pagos.

E a renda continua sendo creditada em minha conta mensalmente.

A mensagem mais importante é: Não importa se eu tenho 200 mil ou 300 mil em Fundos Imobiliários.

O que importa é a renda passiva que eles nos repassam.

O que você preferiria?

Ter 300 Mil em Fundos Imobiliários, com renda de R$ 2.400,00 mensais.

Ou ter 270 mil em Fundos Imobiliários, com renda de R$ 3.100,00?

Eu preferiria a segunda opção, pois meu foco é: Renda Passiva.

É a Renda Passiva que me possibilitará trabalhar exclusivamente com Construção.

Um Salve ao Bastter e time, um professor para os pequenos investidores ... O gráfico esta aí.

.
.


 Um abraço,

VDC – VIVER DE CALMARIA

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Circuit Break na Bolsa: Perdi Muito Dinheiro! Não Sou Mais Milionário ...

.
.

Jesus amado …

Circuit Break na bolsa! Primeira vez que vejo.


Em 2008 eu não acompanhava, nem sabia o que era bolsa de valores.

Última vez que vi IFIX caindo tanto foi no dia negro dos FIIs, em Dezembro de 2015.

.
.

O que mais me deixa triste neste momento: Eu não tenho dinheiro para comprar nada hoje!

Hoje seria o dia ideal de realizar compras, pois, daria para fechar toda a minha lista de desejos nos Fundos Imobiliários pagando bem menos.

Eu sou bobo, mas nem tanto. O preço com um desconto tão grande facilitaria demais aumentar minha posição.

Às 09:55 eu até abri o Home Broker: Admirei pela última vez o valor em Fundos Imobiliários que eu tinha ...

Após a abertura, sangue e muita correria na ponta vendedora: Gente entregando cotas a qualquer preço ...

Fundos Imobiliários tem menor liquidez, logo, não caem, desabam.

Agora o que mais me estranha é: Por mais que haja esta bagunça política, os prédios continuam de pé. Os CRI’s continuam pendentes para pagamento. Os aluguéis em contrato continuam mantido.

A renda prevista para o mês próximo será a mesma, mesmo com este evento catastrófico ...

E mesmo assim investidores vendem cotas a qualquer preço.

É por isto que dizemos que o mercado é irracional. Não dá para entender o que se passa na cabeça das pessoas que participam da bolsa de valores.

É um sentimento de bando, de manada mesmo: “É hora de vender”. Aí todo mundo vende a qualquer preço.

Bom, minha expectativa hoje é tomar 10% de prejuízo, tá bom demais, a renda permanece mantida para o mês que vem. Até o momento já foi 4,5% ...

Quanto maior o coqueiro, maior o tombo ...

ÊEEEE Saudade de ter só R$ 30.000,00 aplicados na bolsa ...

Um abraço e fujam para as colinas amigos!

A queda foi tão forte que até eu criei postagem no horário de trabalho!

Circuit Break Brasil 18 de Maio de 2017! Eu participei!


Sobre o final e título da postagem: O importante é o aumento da renda passiva. Ter 50K a mais ou a menos no patrimônio independe para quem viver da renda passiva dos investimentos já aplicados!

.
.

VDP – VIVER DE PÂNICO (risos).

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Comprar ou Construir Imóveis : Matrícula de Imóvel, Averbação de Construção, Desmembramento de Lote / Matrícula - Entenda

.
.

Pessoal,

Como eu mesmo “tomei toca”, “vacilei” num requisito simples em uma das minhas construções, resolvi postar esta pesquisa completa aqui, bem detalhada, para servir de base.

Para quem pensa em se aventurar no mundo de Imóveis, conhecer estes detalhes é de suma importância.

Meu maior erro na conclusão de um dos processos das últimas obras vendidas foi não ter feito o desmembramento das matrículas das duas casas geminadas, ou seja, eu tinha uma Matrícula única contendo as duas casas.

Para a venda do imóvel financiado pela Caixa, é obrigatório desmembrar as matrículas, ou seja, prover uma matrícula única para cada imóvel. Sem isto, sem venda financiada.

Este vacilo me custou uns 21 dias de dor de cabeça, pra providenciar todos os documentos, fora as idas e vindas do cartório, que fica em outra cidade diferente da minha (custo, tempo, encheção de saco).

E pior: Isto atrasou 21 dias no recebimento do dinheiro da venda pela Caixa, visto que somente após regularizar a matrícula individualizada, o processo de financiamento do comprador se seguiu.


Vamos ao detalhamento:

O Cartório de Registro de Imóveis, possui grande importância para qualquer cidadão que queira comprar ou vender um imóvel.

Todas as pessoas que compram um imóvel, devem registrar suas escrituras no Cartório de Registro de Imóveis da região onde o imóvel se situa.

Somente o registro garante o direito de propriedade do imóvel adquirido. Assim, nos Cartórios de Registro de Imóveis, os cidadãos podem conseguir informações verdadeiras e seguras sobre a situação real de qualquer imóvel, sejam elas referentes a regularidade da propriedade ou sobre eventuais ônus que estejam sobre ela incidindo (alienações, hipotecas, penhoras, etc.…).

Cada imóvel possui um número de Matrícula no Cartório de Registro de Imóveis onde está registrado.

.
.

É nesta Matrícula que estão lançadas todas as informações sobre ele apresentadas para registro, envolvendo aquelas acima já citadas, relativas a propriedade e a eventuais ônus sobre ele incidentes e também seus dados cadastrais, desde a origem do terreno (descrição, confrontações e dimensões), passando, quando for o caso, pelas benfeitorias nele construídas e pela averbação do Habite-se da construção nele realizada, pelos nomes e pela identificação de todas as pessoas que o compraram ao longo do tempo, até os dos atuais proprietários.

 

Vamos entender um pouco mais sobre as Matrículas:


Como vimos, cada imóvel possui um nº de Matrícula, individualizada no Cartório de Registro de Imóveis de sua localidade, onde está perfeitamente descrito e caracterizado, seja ele uma grande gleba de terreno, um lote, uma casa, um apartamento, uma loja ou uma sala de escritório.

Em determinados casos, as Matrículas se sucedem.

É o caso, por exemplo, de uma grande gleba de terreno, onde o proprietário nela  promove  um desmembramento, dividindo-a em áreas menores.

Neste caso, a grande gleba possui uma Matrícula e as áreas ou lotes menores dela decorrentes, possuirão, cada um deles, uma nova Matrícula, pois tornaram-se novos imóveis, com características e dimensões próprias e portanto, perfeitamente individualizados. Nestas novas matrículas, abertas para estes novos lotes desmembrados, estará informada o nº da matrícula da gleba que lhes deu origem e demais informações pertinentes, de sorte a que os interessados possam consultá-la, quando necessário.

O mesmo ocorre, quando da realização, em um determinado lote de terreno, de um empreendimento imobiliário, seja um loteamento, um condomínio horizontal ou vertical. Ou seja, o lote, como um imóvel individualizado, possui a sua matrícula, onde consta, como dito, sua origem, dimensões, confrontações e área. Concluído o empreendimento e obtida a aceitação ou Habite-se por parte da Prefeitura, passou-se a ter, naquele lote, um conjunto de unidades e não mais somente um lote. Assim, o Oficial do Cartório de Registro de Imóveis providencia, na matrícula do lote, o registro da citada aceitação ou da averbação do Habite-se da construção e em seguida, abrirá uma Matrícula para cada unidade que compõe o empreendimento realizado, pois, cada uma destas unidades passou a ser um imóvel individualizado, perfeitamente descrito e caracterizado, onde, em suas Matrículas, estará informada, a matrícula do lote que lhe deu origem, a aceitação do loteamento ou a averbação da construção e demais informações pertinentes, para consulta dos interessados.



.
.


Falaremos agora, da averbação da construção:


Para uma construção ser realizada em um lote de terreno é previamente necessário que se aprove um projeto na Prefeitura de sua localidade e posteriormente, quando de sua conclusão, que se obtenha o Habite-se da construção realizada e registrando-o no Cartório de Registro de Imóveis  local.

A este procedimento de registro do Habite-se no Cartório de Registro de Imóveis local é o que chamamos de "Averbação da Construção".

A averbação da construção é fundamental, pois somente através dela é que passaremos a ter o imóvel construído individualizado, perfeitamente descrito e caracterizado na sua matrícula.

Juridicamente, o imóvel só passará a existir, quando da averbação de sua construção, até lá, o que existe, para todos os efeitos legais será somente o lote de terreno.

Imóveis fisicamente construídos, que não possuam Habite-se ou que não tenham a sua construção averbada, podem representar um risco muito grande para quem o está comprando.

É provável que tenham sido erguidos sem a existência de um projeto previamente aprovado e em desacordo com as posturas municipais locais ou ainda em desacordo com o projeto que tenha sido aprovado, como também poderá representar a existência de dívidas para com o INSS e/ou para com o ISS, impostos estes decorrentes da construção executada e não recolhidos, em parte ou em sua totalidade.

.
.

A existência da construção devidamente averbada (registrada) no Cartório de Registro de Imóveis  é, portanto, de grande importância para a realização de uma compra ou venda segura de um imóvel.

Um abraço

.
.

VDC – VIVER DE CONSTRUÇÃO

Pesquisar no Blog ...

Postagens Populares