Total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Comprar o Primeiro Carro - O Primeiro Passo para Crescer na Vida!




Boa noite Senhores do Milhão. A Luta Continua!

Carnaval, tempo de descanso e confraternização, permitam-me abordar temas inexplorados aqui neste recinto: Carros.

Foto aleatória de uma pessoa adquirindo seu primeiro veículo. Fonte: Google
Este texto é muito pessoal e fala sobre a minha experiência, pode servir para alguém, pode não servir, pois lembre-se sempre que não há verdades absolutas quando se trata de gostos pessoais e da forma com que você trata a sua vida. Você é o único responsável por decidir as coisas da sua vida.

Não, eu não sou o 'dono da verdade'. Isto é o que eu acho, mas, se alguém achar o contrário não tem certo ou errado, apenas baseio o relato na minha experiência de vida.

Pode ser que gere polêmica este texto, pode ser ... Vamos ver.

Falo sobre carro, mas, se você não tem medo e gosta de moto, se encaixa também. Eu sempre fui medroso com moto, então sempre optei por ter carros mesmo.


Eu não vou poupar palavras no meu texto, e já começarei dizendo que: Este negócio de poupar, poupar, aportar e não poder ter um veículo (carro ou moto) no início da caminhada rumo à Independência Financeira, na minha singela opinião, é algo inútil.

O que eu realmente penso (e foi o que eu realmente fiz) é que, quando começamos a trabalhar, e quando começamos a juntar um pouco de dinheiro, devemos buscar nos dar uma base que sustente os anos árduos que teremos pela frente para poupar mais, e o carro (ou moto) é um destes ‘luxos’ que na minha opinião valem sim a pena.

Quando eu comecei a trabalhar, como empregado (não como estagiário), com meu primeiro salário eu vi que, mesmo pagando a faculdade e demais itens (ainda morava com os pais, o que permitia que eu juntasse mais dinheiro por não ter que pagar muitas coisas em casa) eu notei que conseguiria poupar, e foi o que comecei a fazer.

Quando juntei meus primeiros R$ 6.000,00 na poupança, talvez com 6 meses, eu já tinha tirado a carteira de motorista e estava de olho em comprar um veículo, pois realmente a minha vida era muito sofrida: Eu acordava às 05:40 da manhã, para arrumar e sair de casa no máximo às 06:20 para não perder o ônibus e chegar na empresa antes das 08:00 da manhã.

Após, saindo da empresa, mais dois ônibus, e muita correria para chegar às 19:00 da noite em ponto na faculdade.

De lá, eu só saía às 22:30 (com professores bonzinhos), e às vezes com sorte eu pegava o ônibus às 22:45, e quando eu perdia este ônibus (alguns professores só dispensavam após 22:40), ficava lá, mofando, até 23:15, 23:20, morrendo de medo de ser assaltado, além da tristeza em saber que, ao chegar em casa, iria jantar e dormiria por volta de 00:30, tendo que acordar novamente às 05:40 da manhã do mesmo dia ... Fase triste eu vivi, mas extremamente necessária para meu amadurecimento.

Melhorando esta situação, eu sempre busquei rendas alternativas, e de vez em quando surgia algum famoso ‘Freela’ de programação, e muitas vezes eu fazia planos de dormir a noite por volta das 02:00, acordar 06:00, ir sem comer nada e dormir dentro do ônibus ...

Não era fácil, e cansaço era a minha cara ...


Vivi todo o meu primeiro período da faculdade assim.

Para sair aos finais de semana: Sempre uma tristeza, pois na época nem se sonhava com Uber ou outros aplicativos, e pegar táxi para mim era um evento mais raro que um eclipse solar, do tipo, somente em caso de iminência de morte para ir ao hospital ou retornando de viagem, caso as malas fossem muitas para sair da rodoviária (nesta época nem me imaginava usando aviões).

Nem preciso dizer que eu não tinha vida durante a semana, e como eu sempre fazia hora extra aos sábados, eu também praticamente só tinha o Domingo de descanso, pois na hora extra eu realmente fazia coisas que agregavam a empresa, na verdade eu sempre estava desenvolvendo algo novo ou colocando meu serviço em dia, para ter mais tempo livre justamente para testar as minhas ideias de melhoria do setor (relatórios, sistemas, programação, etc.), e ainda tinha que ter tempo para os trabalhos e ‘para-casa’ da faculdade.

Bons tempos ... #SQN

Acho que já no segundo período da faculdade, decidi mudar isto.

Eu já tinha um emprego até bom, um salário de R$ 1.700,00, que na época era algo muito bom e alto pra mim, e decidi: Eu precisava  sair da vida de tristeza. Eu precisava de um carro.

Provavelmente eu teria financiado um, mas, nesta parte tenho que ser sincero ao ter tido uma excelente ajuda de meu pai e de um irmão: Consegui um empréstimo de ‘família’, sem juros, para comprar meu primeiro carro, no total de R$ 13.000,00. Eu tinha R$ 7.000,00  (meu primeiro dinheiro que juntei na vida), e com este total emprestado eu consegui, com a ajuda do meu pai, comprar meu primeiro veículo.

Lógico que comprei um veículo popular, sem ar condicionado, sem direção hidráulica, mas tinha vidros elétricos e 4 portas.

Como todo moleque novo, eu fiquei tão feliz que comprei produtos para lavar o veículo (cera, shampoo, pretinho para as rodas, cheirinho) e coloquei pedaleiras esportivas, e troquei o som, não para estes sons barulhentos, um som normal, ambiente, de marca de bom custo benefício.

Já neste momento da minha vida, ainda sem ter um tostão no banco, eu já me orgulhava por dois motivos: Primeiro, por ter sido contratado após um tempo recorde de estágio (daria outra postagem, o quanto eu me esforcei e a postura diferenciada que tive mesmo sendo estagiário, concorrendo com mais 5 caras e venci), e segundo por ser novo, acho que tinha 19 ou 20 anos, e já tinha meu primeiro carro.


Já neste momento na minha vida, eu estava super feliz comigo mesmo (nunca me achei um derrotado, tive derrotas sim, mas agora digo com propriedade que venci a batalha, mas eu sempre acreditei em mim e este era o sentimento que eu tinha na época) ...

À partir daí, a minha vida mudou ...

Eu comecei a ir de carro ao Trabalho (estacionamento gratuito), e o vale-transporte eu vendia.

Dependendo da hora que eu batia ponto na empresa, dava tempo de passar em casa antes de ir para a faculdade. Às vezes era o tempo de tomar um banho de 5 minutos, comer algo em 5 minutos e sentar 5 minutos no sofá, mas, ISTO ERA A MELHOR COISA DO MUNDO, MUITO REVIGORANTE.

Eu chegava na faculdade com pique total (tive que pagar um estacionamento, lembro até hoje, R$ 80,00 mensais), mas eu chegava de banho tomado e muito mais descansado.

Para ir embora então, se antes eu chegava em casa 23:30, 22:50 eu já estava em casa ... Amigos, eram 40, 50 minutos a mais para mim, ou seja, meu dinheiro começou a me gerar conforto nesta época.

Para alguns isto seria um gasto, para mim isto significou um aporte em mim mesmo, pois eu comprei tempo, comprei conforto, e com base nisto eu teria mais tempo para estudar (sempre fui estudioso), descansar e continuar batalhando para melhorar de vida.



Não costumo escrever sobre minha vida pessoal (fora da parte finanças e carreiras), mas, vamos falar a verdade: Como você, jovem, que se auto proclama derrotado, feio, sem atributos, sem dinheiro e sem carro vai conseguir alguma mulher que te queira? Se nem você gosta de si mesmo, quando outra pessoa vai gostar?

Não estou falando de instintos naturais e nem nada, mas, você e um concorrente batalham por uma mulher. Esta tudo empatado e o cara tem carro. Qual você acha que será escolhido?

Ter um carro na sociedade é mostrar que você tem condições, que você tem uma base, e se a vida funciona assim é você que vai mudar o padrão? Não mesmo.

Antes de desistir de tudo, faça o que puder fazer para melhorar a aparência: Dieta, academia (se tiver tempo), se não tem tente malhar em casa, sei lá, dê seu jeito. Batalhe no seu trampo, consiga um salário um pouco melhor, poupe, e compre um carro. Isto vai mudar bastante a sua vida, cuidando da aparência, tendo um carro popular e simples (que seja), já será seu primeiro passo para sair da corrida dos derrotados, e dos 'mi mi mi'.

Antes de pensar em investir (Ações, LCI, FIIs, CDB), você precisa montar a sua base de conforto, pois estamos falando de no mínimo 10 anos de muito suor para chegar a Tranquilidade Financeira (e eu falo isto com propriedade), então, não pense que carro é passivo, vai te dar só gastos, etc., e sim, pense que esta será a sua base de conforto para sobreviver numa luta de no mínimo 10 anos.


Com carro, você poderá sair mais, terá mais liberdade, e em teoria estará protegendo a sua vida, pois, eu acho mais perigoso andar de ônibus e ficar parado num ponto de ônibus escuro a noite do que pegar seu carro num estacionamento e parar dentro de sua garagem.

Com carro você verá que, com dinheiro, sua vida melhorou, logo, você estará mais animado ainda para continuar batalhando para conseguir mais, e sempre lembrará que, para manter seu carro você precisará de dinheiro, então é seu DEVER conseguir ir melhorando de vida para manter o seu carro.

Tenho um amigo, quebrado mesmo, nunca teve nada, só subempregos, e que durante uns 8, 9 anos, no máximo pegava uma menina a cada 2 anos ...

Morava com os pais e uma penca de irmãos, casa sempre cheia, nunca tinha dinheiro para nada, andava mal vestido, ou seja, chances zero de conseguir uma mulher.

Comprou uma moto ...

Tudo bem, financiou (perdeu dinheiro), mas comprou uma moto simples, mas zero KM.

Resultado: Começou a namorar, menina até bonita pra ser sincero.

Começou a sair mais.

Começou a ser mais respeitado, pois se antes era um ‘zé ninguém’, agora era o cara que tinha uma moto.

Resultado: Cresceu na vida, conseguiu um emprego um pouco melhor, e começou a viver.

Será que adiantaria para ele ter continuado a mesma vida e guardado R$ 5.000,00 no banco? Eu não acho isto.

Amigos, o que vai fazer vocês atingirem a Tranquilidade Financeira é o APORTE!

Para aportar, você precisa montar a sua base, você não pode perder 10 anos de sua vida juntando R$ 1.000,00 por mês, não adianta, vá viver.

Monte a sua base, as coisas que vão te dar o mínimo de conforto para que você aguente tanto sacrifício.

No meu caso, o meu veículo propiciou isto, de um zé ninguém que nem tinha vida, pois trabalhava e estudava, eu passei a ser o cara que ia de carro para a faculdade e para o trabalho, e que tinha tempo de passar em casa e trocar de roupa, e isto me ajudou demais, pois eu conseguia aprender mais na faculdade, não ficava lá dormindo todo dia.

Outra coisa: Economia. Sim, economia.

Passando em casa, eu não precisava mais comprar o macarrão ou hambúrguer de R$ 5,00 com um copinho de refrigerante todos os dias, pois passando em casa eu comia um lanche ou jantava e ia de ‘bucho cheio’ para a faculdade.

Atenção: Não estou dizendo pra você financiar um veículo de R$ 30.000,00, e nem comprar um carro zero, não, isto seria, de fato, muita burrice.


Compre um carro em suas condições, com R$ 10.000,00 a R$ 15.000,00 você encontra um bom carro das marcas mais conhecidas (Volks, Fiat, GM, Ford).

Não vai querer comprar carros bombas, compre populares cujas peças de reposição serão mais fáceis de conseguir e qualquer mecânico saberá trocar.

Não fique aí escondido atrás de um computador se lamentando e contabilizando patrimônio numa planilha Excel! Vá viver.

Vá correr atrás de melhorar o aporte!

Tenha seu carro ou moto simples, mas que te permita a ter mais conforto.

Esta foi uma das coisas que me ajudou durante a minha longa batalha de 10 anos ...

E esta é a dica, não de um perdedor, e sim de alguém que atingiu a Tranquilidade Financeira.

Vai ficar achando que carro é passivo até quando?

Um abraço e até a próxima postagem!

VDC – VIVER DE CARRO

Ps: Meme nada a ver para fechar a postagem


77 comentários:

  1. VDC com todo respeito este é um post matrixiano.

    Entendo que depois de anos de sacrifício sua versão de viver é gastar, mas não tem como não comentar este disparate "tecerei uma critica a sua persona."
    Faz muito tempo que tenho percebido que para ti aportar = sacrifício, não seria mais proveitoso que tu diminui-se de vez seus aportes ? Outra questão não há vitória sem sacrifício! Isso mesmo desafio qualquer um aqui por mais esforçado que seja a conseguir obter alguma coisa na vida sem sacrificar algo.

    Relação matemática lastreado no calculo de eficiência:
    Horas trabalhadas / Pela renda média = Ganho por hora trabalhada
    Se paga mais juros ao sistema = Mais horas trabalhadas para se pagar um bem no mercado.
    Se paga menos juros ao sistema = Menos horas trabalhadas para se pagar um bem no mercado.
    Se paga mais passivos ao sistema = Mais horas trabalhadas para se pagar um bem no mercado.
    Se possui mais ativos = Menos horas trabalhadas para se pagar um bem no mercado.


    Ainda por cima existe uma forte influência do markting corporativo em cima da massa assalariada, também existe forte influência do circulo social,bastaria um deslize para uma pessoa por tudo a perder.

    Compre um carro trabalhe 2 anos a mais para sustentar governo, posto de gasolina, banco , financeira etc isso é vida?

    Meu amigo não entra na minha cabeça de uma maneira matemática algo desta magnitude.

    Anons e pessoas começando na IF: Não comprem carro!
    Comprem moto, bicicleta etc. A melhor coisa que vocês podem fazer para si mesmos, pagar 4 ou 6 mil numa moto que te leva no mesmo lugar por um preço acessível.

    Depois de juntar uma quantia razoável e receberem bastante juros de seus investimentos, se quiserem comprem um carro de segunda linha fora da faixa do IPVA.

    Quem esta começando na IF tem de esquecer carro seja novo ou velho etc
    Uma moto faz quase tudo que um carro faz por 25% do preço, se você não fizer burrices e dirigir em direção defensiva dificilmente haverá acidentes.

    VDC não seja um agente da matrix tu esta falando para uma pessoa de renda média qual não tem dinheiro nem para pagar funeral , convenio , escolas , faculdade etc comprar um carro? Vou perdoar sei que tu deve ter tomado umas no carnaval KKKKK

    Luiz barsi o maior investidor pessoa física da bolsa: Tem zafira kkk veja o que ele diz sobre carro.

    Palavras de Luiz barsi.

    Uma das coisas que aprendi com warren buffet é não ser patrocinador . As pessoas sentem necessidade de mostrar à sociedade que têm grana. A primeira coisa que 99% das pessoas que ganham dinheiro fazem é gastar, é jogar para fora a essência de seus egos.Quem souber administrar esses egos, um dia vai ficar rico.Cada vez que ganha dinheiro, o buffet administra com lógica, competência e inteligência. Muitas pessoas não entendem o sentido dele ter um montante de dinheiro e morar há tantas décadas na mesma casa.Mas se ele esta bem naquela casa, porque ele precisa comprar um palácio? Ele não compra um carro de US$ 500 mil porque, para se locomover , não é necessário.O Buffet contempla a conta bancaria.

    Para se locomover zafira e metro.

    Eu podia comprar 10 Mercedes, uma de cada cor. Sei que posso qualquer coisa, mas eu devo? Se acho uma imbecilidade ,não faço. O Carro que ando com regularidade é uma zafira ( Carro Chevrolet que já saiu de linha ) Minha esposa recentemente me pediu uma suv.Sabe qual comprei? Um Cherry Tiggo ( Carro chines)de 50 mil. E a metade do preço de outros SUV, mas é ótimo carro.Eu não tenho vaidade. Para trabalhar, venho todos os dias de metrô. É mais seguro. Eu vivo pensando em ações. Então as vezes estou no carro, vem alguma coisa a minha cabeça e me distraio. Já cheguei passar do farol vermelho no cruzamento da avenidas Paulista e Brigadeiro Luís Antônio.Como no metrô nunca vai acontecer isso, mudei meu habito.Gasto só com o que é necessário. Moro em uma excelente casa. Quando quero ir na churrascaria vou ao fogo de chão.







    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Mestre,

      Pois é, meio 'do contra' eu dizer isto, mas reafirmo no meu caso: Valeu ter começado comprando um carro.

      Motivo: Comprei teve, e me motivei mais a continuar na luta.

      Concordo contigo, com exceção do risco de acidente que moto é melhor sim, mais barato, menos impostos, paga-se menos na gasolina.

      Agora, eu não concordo em viver 10 anos sem carro pra aportar.

      Pra mim, a pessoa tem que montar uma base de vida mínima primeiro, ter algum conforto, e após começar a aportar forte (foi o que eu fiz).

      Claro, precisa já ter um emprego e perspectivas de aumento, e veja bem, eu disse um carro popular, eu acho que vale sim a pena ter no início da vida de aportes um veículo simples, popular, que lhe deixe ir onde você precisa e dê mais tempo.

      Meu caso: Eu fazia freelas de desenvolvimento de sistemas, então, mais tempo em casa = mais dinheiro no bolso e mais qualidade de vida.

      Mas, talvez meu casos seja específico, ainda assim acho que vale a pena ter um meio de transporte.

      Ps.: Em teoria estou na fase de reduzir aportes, estou 3 meses sem aportar, vivo uma fase 'mega matrixiana' mesmo, mas mês que vem no mais tardar em Abril volto a aportar fortemente rs.

      Um abraço!

      Excluir
  2. Olá construtor!! assim que juntei um dinheiro, também comprei meu primeiro carro. Do que adianta juntar dinheiro e ficar dependendo de transporte público cheio. Na época de faculdade foi bastante desgastante e sofrido depender de ônibus. Acho que devemos ter um carro de acordo com nosso ganho mensal, sou contra um cara comprar um Civic, um Corolla e ganhar R$ 3000,00 por mês, más um popular usado tipo Gol, Palio não vão alterar tanto sua corrida para independência financeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Beto,

      Pensamos igual neste ponto. O problema é que a galera começa a trabalhar e já parte logo par Civic, Corolla usado, Audi A3, Golf ...

      Um popular pé de boi, básico mesmo, que te leve pro trabalho (se for dificil ir de onibus) e pra faculdade é muito importante.

      Meu carrinho, meu primeiro me ajudou demais ... Melhorou demais a minha vida, e me permitiu estar mais bem disposto e aprender mais na faculdade, alem de poder ter mais conforto pra ir ao trabalho.

      Montando a base de conforto, aí sim o foco deve ser total em aportes.

      Um abraço

      Excluir
    2. falaai pra nozes qual caranga vc anda agora rsrs só pra matara a curiosity.

      Excluir
  3. Vc disse 10 anos pra chegar numa IF, já vi gente falando de 20, 25 anos pra chegar nela! Outra coisa, usar carro dos pais por mais que o mesmo seja igual o da foto ai que vc mostrou pode valer mais a pena do que ter um moto própria.

    Olha, já vi caras com raiva, dizendo que vão aportar por 30 anos pra chegarem lá na frente e terem um carro importado como audi, camaro, o famoso camaro! Pra terem mulheres aos seus pés, etc...

    Desculpe, mas acho muito exagero tanto de quem diz que vai viver um modo zumbi máximo quanto de quem diz pra ter carro muito cedo!

    Concordo 100% sobre a liberdade que um carro dá, por mais que seja simples. Mas se dá pra usar um carro que não gera custo algum, como é geralmente o dos pais, porque não esperar um pouco mais pra ter um próprio?

    Abração! Post muito bom pra gerar discussões interessantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Anon,

      Eu uso meu proprio exemplo com 10 anos, mas ainda estou longe da IF. Dependera mais do aporte mesmo e da taxa de poupanca pra definir o tempo de IF.

      Tudo na vida tem que ter uma medida, nao pode ser demais, nem de menos.

      Eu queria ter usado o carro do meu pai, mas ele nao emprestava.

      A hora de ter o primeiro carro, na minha opiniao, é quando voce começa a ganhar um salario que permita pagar as despesas do veiculo, e, se tratando de um popular bem cuidado, nao tende a ser tao caro assim.

      Se meu pai emprestasse o dele realmente eu optaria por esperar pra comprar o meu, infelizmente ou felizmente nao foi o caso, o jeito foi trabalhar mesmo para adquirir o meu pe de boi rs.

      Abraço e obrigado pela contribuicao

      Excluir
  4. Em 2010 comprei um i30 nunca me arrependi da compra. Aproveitei muito a vida com ele. Uma coisa que nunca vou esquecer e quando uma garota entrou no meu i30, que na época era zerinho, e disse "cheiro de carro novo me deixa exitada". Não preciso disser o final da história. Incrível como mulher gosta de carro. Em fim ele me deu muitas alegrias, mas esse ano vou troca-lo e o escolhido é o Creta. Gostei muito da hyundai e pretendo continuar com ela. Mas agora na atual fase da minha vida um SUV combina mais com meu estilo de vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Anon,

      Ja tive um carrao zero, financeiramente nao foi grande coisa (perdi dinheiro), mas foi a fase onde tive mais status (cara novo de carrao zero, imagine).

      I30 e um carro foda mesmo, ate hoje acho ele super bonito, dizem que a suspencao e dura por ser esportivo, mas e um senhor carro.

      Nao conheco este creta ...

      Na epoca do carro eu ja namorava entao nao tenho nada de novo a acrescentar rs, mas que chama a atencao da mulherada, isto chama e claro que seria muito mais facil arrumar mulheres de carrao do que a pe.

      Gostaria de ter uma suv, melhorei de carro este ano, mas suv ainda nao chegou a minha hora.

      Mulher gosta de carro mesmo, tem jeito nao, e depois sou eu que sou taxado de acreditar em mulher excecao. Mulher quer cara que impoe respeito e que mostre que sera alguma coisa na vida rs.

      Um abraço

      Excluir
  5. Alguns dizem que pra ter namorada vai depender do carro que vc anda, não bastaria então teoricamente ter qualquer carro. Uno, celta, gol, não chamariam tanto atenção quanto civic, audi, i30, carro assim, mais caros de manter e geralmente importados.

    Alguns são adeptos ferrenhos de comprar um importado usado do que um popular nem que este seja seminovo ou novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Anon,

      Na fase que eu tive carrao zero, da moda, eu digo: Por mais que eu tivesse status, se nao tivesse um grupo para ostentar nao adianta nada (so o carro nao trara mulheres automaticamente, mas carrao facilita, claro).

      O problema do importado usado e a manutencao e o risco de um acidente: Peças caras, demora pra arrumar, seguro mais caro.

      Por mais que carros como Civic, Corolla chamem mais a atencao, voce de carro popular ja aumenta mais as chances.

      Acredite, tem muito cara a pe, e mulher nao vai querer mesmo nao, ter um carro ajuda muito, melhora a sua vida pessoal, financeira e amorosa.

      Aqui na minha cidade os Audi Ae e Golf eram o sonho de consumo do povao rs.

      Abraço

      Excluir
  6. Alguns já diriam que valeria mais a pena ficar 10 anos aportando 1k do que não estar aportando nada e pagando juros. São situações bem diferentes. Quem pode aportar 1k hoje as vezes fica com aquela pulga atrás da orelha, talvez com receio de investir em algum curso/estudo/que não de o retorno desejado futuramente, coisa do tipo.

    Não tenho previsão pra adquirir um carro, vou usar o dos pais mesmo até tomar uma decisão quanto a isso. Tem aquela do carro ser até 10% do seu pl, ou seja, mínimo de 400k em ativos pra ter um carro de 40k. Mesmo assim, alguém deve sentir uma dor no coração em pagar uma grana num carro, nem que seja 10k! rs

    Se diz que deveríamos adquirir passivos com os rendimentos dos ativos, ou seja, se quer um carro de 40k, vai ter que ter 40k de rendimentos! Isso infelizmente é meio fora da nossa realidade.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala LM,

      Use o quanto puder o carro dos pais, ajuda sim, mas chegara uma hora que voce ira querer ter o seu.

      Nao faço calculos como este que voce citou, acho um pouco fora da nossa realidade.

      Digamos que alguem com salario de 2K pode manter tranquilamente um popular de 15k, se comprado a vista.

      O aporte e poupanca sao muito importantes, sem duvida, mas nao vai ser bom pra sua vida ficar aportando 1K e andando de onibus pra cima e pra baixo.

      Eu nao arrependo, sempre tive carro, e os gastos que tive foram proporcionais aos beneficios que tive.

      Foi o que me motivou tambem a melhorar meu salario.

      So errei comprando carro zero (talvez valha a pena uma vez pela experiencia e sensacao).

      Abraço

      Excluir
  7. Espero que quando eu tiver uma namorada, que ela seja legal, inteligente, bonita, que goste de mim, porque eu não vou ser ruim com ela.

    Claro, quero sim que ela tenha ambição de crescer, mas que tenha os pés no chão quando necessário. Provavelmente eu estarei bem financeiramente, também é provável que eu seja mais velho que ela, seilá, 10, 15 anos...É isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon,

      Seja legal, so nao seja bobo.

      Vejo colegas que pagam ate mensalidade da faculdade pra namorada, noiva, isto eu acho muito errado, ou aqueles que compram presentes caros.

      Nunca comprei nada caro assim, e sempre fui em lugares bons, mas baratos, pois eu sempre paguei a conta (penso que e dever do homem pagar).

      Outra coisa: Na parte financeira, minha sugestao e separar tudo. Ambos podem crescer juntos, mas com contas separadas, e viver super bem.

      Quanto a idade, nao crie regras, mulher mais nova, mais velha, o que aparecer e dar certo e isto mesmo.

      Um abraço

      Excluir
  8. Cara, nada contra você. Gosto muito do seu blog, mas esse post...

    Não sei se você percebeu, mas faz um apelo à "Matrix", e isso utilizando o mesmo senso da maioria da população ignorante financeiramente e consumista, "comprar carro para ser alguém".

    Para ser honesto, considero os pontos do ganho de tempo, conforto e possibilidade de comer em casa como ótimos argumentos. Mas a sua abordagem para o lado "tenho que ser alguém, logo vou consumir" não ficou tão bacana para um blog de finanças...

    Não quero fazer uma crítica depreciativa, mas só atentar para esse argumento.

    Outra coisa ainda, há um erro de causalidade entre "ser alguém" e "ter carro". Não creio que tenha sido intencional, mas você inferiu isso ao relacionar o caso do seu amigo com o "não viver e não poder aumentar os aportes". Você pegou um exemplo desse seu amigo que ficou feliz por ter uma pequena mudança de vida, isso por causa de uma moto, e depois até conseguiu melhorar o padrão de vida. Ora, se ele conseguiu uma namorada por ter uma moto, sinceramente, há algo de errado nessa relação, pois uma companheira que se preze não se juntará ao seu namorado/esposo por um simples bem material, e a que faz isso é apenas uma interesseira. Sem contar que uma moto não traz um melhor emprego ou salário - só se o sujeito utilizá-la como instrumento de trabalho -, já o que melhora o salário, e consequentemente aportes, é a melhora na carreira ou nos empreendimentos, não um passivo.

    Mas não é só isso, o erro de lógica está em relacionar um caso hipotético de alguém que poupa pouco dinheiro com o não ter um carro/moto. Talvez você quisesse dizer outra coisa, mas a construção da argumentação acaba por induzir a essa conclusão, de que se um sujeito não comprar um automóvel ele não poderá ascender na carreira/negócio.

    Espero que não tome meu comentário como uma crítica depreciativa ou mi mi mi, mas que atente a essas coisas.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon,

      Estou lendo pra responder, mas ja adianto que o post foi feito para polemizar um pouco mesmo, pois vai contra o que a maioria prega.

      Aqui nao precisa ficar sem graça de criticar, pode descer o bambu sem do, as vezes eu posso estar errado e corrigir minha forma de pensar baseado nos comentarios.

      Na verdade as criticas ajudam muito a melhorarmos nossos pensamentos, entao toda critica e sim muito positiva e sempre agradeço aos leitores que elogiam e aos que criticam.

      Se eu nao conseguir responder e por que minha bateria acabou e vou dormir, mas vou tentar escrever a resposta agora.

      Excluir
    2. Agora respondendo:

      Sim, o carro trouxe ganhos quanto ao conforto. Acho que agregou muito pois me ajudou a fazer mais horas extras, ter tempo de passar em casa antes da aula e sair mais.

      Veiculo como status: Por mais que eu diga que nao e isto, e que devemos focar em aportar, e isto que a sociedade em geral enxerga. No caso do meu amigo, talvez o fato de ter adquirido um bem tenha mexido com a sua auto estima e assim ele começou a namorar.

      Achei muito boa a sua critica, realmente vi que correlacionando os assuntos eu acabei falando sobre 3 temas de forma bem distinta de finanças.

      Manterei para gerar esta excelente discussao.

      Um abraço e obrigado

      Excluir
  9. Caramba vi um filme passando na minha cabeça lendo este texto.

    Lembro quando fui mandado embora de uma empresa no começo de 2012 e a primeira coisa que fiz foi comprar um Fiesta 1998 completo.

    Alguns meses depois consegui um emprego 33km de casa e que precisava sair 2h dá manhã. Fiquei 2 meses fazendo essa viagem ida e volta até achar uma casa próximo ao novo serviço. Se eu não tivesse o carro teria perdido o emprego.
    Fiquei 3 anos nessa empresa e depois fechou por causa das crise.

    Mas o fiestinha continua me levando pra cima e pra baixo. Vou usar ele até cair tudo e depois vou trocar por um uno Mille.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala SP,

      Sou fa de Uno Mille e Gol Bolinha, pra mim sao os carros mais duraveis pra um pobre aportador.

      Carro gera gastos sim, mas tem que colocar na ponta do lapis os beneficios, muitos deles intangiveis.

      Voce de carro sera melhor visto na sociedade, e gostara mais de si mesmo, logo, voce automaticamente, se tiver neuronios claro, vai começar a se esforçar ainda mais para melhorar de vida.

      Nao vejo sentido em ter 20 e poucos anos, andar a pe e ficar contabilizando patrimonio em Excel, tem que montar a base de viver e apos começa a aportar e sempre buscar aumentar o aporte.

      Nao se trata de perder 10, 15 anos de vida, tem que viver no modo simples e poupar, e pra mim carro e obrigatorio.

      Quem pode usar o dos pais melhor ainda. Meu pai nao deixava usar o dele, infelizmente.

      Ainda bem que seu carro te ajudou no emprego SP, ta vendo, tem sim seus beneficios.

      Abraço

      Excluir
  10. É cara...nao existe essa conversa de que "fiz tudo sozinho". Vc mesmo disse que teve ajuda do pai...e quem tem pai lascado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon,

      Nisto tenho que ser verdadeiro, meu pai sempre foi um exemplo de poupador e aprendi naturalmente, e nestas horas, bem como quando comprei meu primeiro Apartamento, lote, ele me ajudou, algumas vezes completando meu dinheiro e sempre dando dicas pra nao deixar eu entrar em furada.

      No exemplo do meu primeiro carro, sem ajuda da familia, eu teria duas opcoes: 1 financiar o restante. 2 esperar mais 5 meses para comprar a vista.

      Quem tem pai lascado pode demorar um pouco mais, mas e possivel sim, nao pode e desanimar.

      Meu pai tinha 2 carros e em raros momentos me emprestou um deles. A mensagem dele era clara: Meus bens sao meus, va trabalhar pra conquistar os seus.

      Nao e tao diferente assim.

      Abraço

      Excluir
    2. VdC, mais um texto provocador e interessante demais. Achei muito legal o contra-ponto com a galera que "proíbe" a compra do carro.

      Anon,

      Quem tem pai lascado não pode usar isso como desculpa, porque a "lascadez" do seu pai não vai movimentar você pra frente. Vou me usar como exemplo que talvez ajude você: eu tinha o mesmo sentimendo do VdC na faculdade - dormia pouquíssimo porque acordava às 5h pra pegar o ônibus da empresa e chegava em casa às 23:30h da aula. Nesse tempo meu pai andava num Chevette 85 fudidíssimo que ele usava pro trabalho. Depois que comecei a trabalhar, ajudei meu velho a comprar uma picape que o fez ganhar uma renda melhor, e depois disso eu comprei um Fiestazinho com 7 anos de uso, que me ajudou a fazer programas mais legais e me preocupar menos com horários ou com caronas caridosas.

      Fiz a faculdade toda sem carro e é sim foda porque você perde muito em qualidade de vida, tempo de estudo e interações que são importantíssimas pra você sair com contatos legais do ensino superior.

      Sobre o período de aporte em detrimento da compra do carro, o lado bom é que ele meio que forja você no limite extremo da disciplina de não fazer algo que você não possa arcar com os custos, mas não tenha dúvida que o carro ajuda sim no "status" (não acho palavra melhor, ainda que seja um termo bem matrixiano), mas o fato é que você precisa ter algo a mostrar pra ser interessante e surgir oportunidades. Serve pra mulher, serve pra conhecer pessoas que podem te ajudar... fazer isso de ônibus é lutar contra as estatísticas. Fudido anda com fudido; se você se mostra um pouco melhor sucedido, isso puxa sim você pra cima. Não falo de ser o esbanjador baladeiro gastador, e sim de agir de maneira inteligente e participar de eventos que podem ajudar você a subir na vida.

      Acho que você bateu num ponto bacana apesar de não concordar com o texto totalmente, VdC. Mas o ponto do ganho intangível é algo que pode sim ser considerado e uma aquisição de um carrinho pé-duro resistente ou uma motoca (ideal pra quem tem a coragem pro negócio) ajudam demais a manter sua mente fresca pro sacrifício da jornada.

      Abs,
      Ceariba

      Excluir
  11. Esse post foi um tapa na minha cara! Tenho 22 anos e ando de bike, ela é até boa e nova. Ouvir dos outros blogueiros que me enquadro na categoria LIXO até vai, mas aqui, eu nao esperava...aquela primeira foto é a tipica pessoa que ganhou de alguém o carro. E quem tem 22 anos e o pai morreu há 20 anos? Tomo bonito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueça isso de categoria lixo. A grande maioria das pessoas aos 20, 20 e poucos anos não tem condições de ter carro, isso é natural, aliás a maioria não tem condições de ter quase nada, a não ser que se endividem bastante.
      Se a pessoa tem pai ou mão que tenha condições de dar um carro ou ajudar na compra de um tudo bem, se não, trabalhe, aporte e invista esse é o caminho não para compra do carro, mas para compra de todo e qualquer bem, em especial bens de valor mais elevado.

      Excluir
    2. Fala Anon,

      Este 'tapa na cara' serve para nos acordar pra vida e colocar no caminho certo.

      Bike e legal e tal, mas, nao sou eu que estou dizendo, e a sociedade que diz que um jovem precisa ter carro.

      Quando eu tinha 18, 19 anos era triste ver as meninas da minha rua tudo dando mole pra caras bem mais feios que eu, mas que iam la na rua de carro e moto.

      A verdade e esta, nao tem jeito, e eu ja tive bicicleta tambem.

      A primeira foto e de alguem que ganhou mesmo, ou seja, nao vai arrumar nada na vida, pois veio facil e vai acostumar.

      22 anos ... Pedala amigao, corra atras de um emprego, foque na faculdade e comece a juntar seu pezinho de meia pra montar a sua base rumo a TF (Tranquilidade Financeira).

      A ajuda que tive foi excelente, mas, veja que mesmo sem ela em 5, 6 meses eu conseguiria comprar o veiculo.

      Meu pai sempre ajudou, mas nao tanto assim.

      Abraço e nao desista, voce ta novo demais e se pegar firme ate 32, 35 anos voce estara bem de vida.

      E nao deixe de viver agora pra ficar 10 anos dentro de casa poupando.

      Abraço

      Excluir
    3. Não sei se vai ser publicado, mas...
      Anônimo autor do comentário, você não é lixo por não ter carro, é um lixo por ter esse pensamento tacanho e invejoso. Pare de se lamentar e vai trabalhar. Como já te respondeu o outro anônimo, a maioria da população brasileira não tem e talvez nunca terá a chance de ter um carro, muito menos um adquirido a vista, sem comprometimento de expressiva quantia de seu salário. Seu pai morreu? Os meus pais (pai e mãe) também morreram, e hoje, com os rendimentos do dinheiro que tenho aportado + salário, posso comprar um carro popular por mês. É esse pensamento abjeto típico das viúvas do blog do pobreta que te faz um lixo.

      Excluir
  12. Quando você fala em construir uma base de conforto eu concordo plenamente. Só que existem conquistas na vida e uma delas é a aquisição de um carro, que podem prejudicar a obter outras conquistas como a independência financeira.
    Se no seu caso você sentir que gastar dinheiro com um carro o ajudou a ganhar dinheiro de um modo geral com outras coisas ou tornou mais suportável a disciplina de aporte visando o longo prazo eu considero ótimo.
    O seu ponto de vista é bacana sobre a melhoria na qualidade de vida que o veículo lhe trouxe, é melhor um cara gastar 20 anos aportando mas sendo feliz no processo a um cara que aportou por 15 anos e é um infeliz.

    Tenham sucesso,
    Maluco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Maluco,

      Excelente analise.

      Carro gasta sim, mas me propiciou muitas coisas boas, e eu duvido que eu teria tido a mesma garra em busca de promocoes e aumentos salariais se ficasse enfurnado em casa aos finais de semana para aportar pouco.

      Sempre vivi o simples. Tinha os gastos do final de semana na ponta do lapis: Eu tinha 100 reais pra gastar no sabado e domingo, e na maioria das vezes gastava menos.

      Poupar e buscar a IF pra mim foi algo natural, nem sonhava com blogs como este, e nao vejo que viver isolado pra aportar traga boas coisas pra vida.

      Exemplo: Vamos supor que se eu tivesse vivido dentro de casa, sem fazer nada agora eu tivesse 300 mil a mais. Valeria a pena? Nao.

      Precisamos viver. Precisamos buscar aumento do aporte, mas se voce viver mal e isolado qual a motivacao voce tera?

      O carro me ajudou demais ... Eu era um merda, com o carro eu fiquei melhor e tudo começou a dar certo, eu me motivei, auto estima subiu, e deu no que deu estes 10 anos.

      Abraço

      Excluir
  13. Eu só discordo que no começo adquirir um passivo grande, como um carro não vá trazer dano ao patrimônio. Pode não trazer, no caso de alguém com uma carreira estável e costume de aportar, pois o carro pode trazer melhora no desempenho do profissional e melhorar sua imagem e disposição (transporte público suga a vitalidade). Mas para a maioria o carro é uma maldição.

    Um jovem que compre um carro de digamos 25 mil, está "perdendo" uns 200-250 reais de rendimento passivo. Vai de cada um avaliar se um aumento de salário deste valor vale a pena agora ou mais tarde (no caso do carro te trazer benefícios profissionais).

    No meu caso, com 22 anos eu tive a sorte de possuir o valor de um carro popular zero (23k) na poupança e com este valor comprei meus primeiros lotes e multipliquei o valor - para a maioria, ter uma política assim é a única maneira de bater a humilde meta de ter poupado o valor de uma casa popular, por exemplo, antes dos 30 anos.

    Eu identifico em seu blog que você GOSTA de carro, e associa com CONFORTO na vida. Isso vai de cada um. Tenho um primo que gosta de cavalos, assim como o pai dele, e, apesar de todas as críticas de que os bichos são passivos financeiros, eles fazem algum dinheiro neste ramo e são felizes, e não seriam felizes de outro modo, então no fim cada um deve observar se o carro ajuda ou atrapalha, ainda que pra vasta maioria atrapalhe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala CF,

      Concordo 100%. Pessoal novovque tem aqueles empregos que fica 6 meses, sai, procura outro nao deve ter carro.

      Pra comprar carro tem que ter saido da fase estagio e ja estar num emprego mesmo, caso contrario tem que aguardar (excessao: Pais que pagam o veiculo ou emprestam).

      Com certeza eu poderia ter ganhado mais dinheiro aplicando o valor dos carros que comprei (ja comprei bons carros com bpm desconto), mas, eu era jovem e tambem ja errei.

      O importante e que na balança patrimonial voce economize mais do que gasta.

      Sim, gosto de carros e asssocio com conforto. Considero o primeiro passo para o crescimento e amadurecimento. Mas carro popular no inicio e usado, entrar em divida pra comprar carro sem dinheiro seria um erro.

      Abraco

      Excluir
  14. Carro é um dos temas mais polêmicos da "finasfera".
    Eu não tenho e nunca tive carro. O meu estilo de vida fez com que carro não se tornasse um bem "obrigatório" pra mim.
    Mas não critico quem pensa diferente. Acho que o maior erro em adquirir um carro está em fazer longos financiamentos para comprá-lo, financeiramente falando é um péssimo negócio.
    Também não sei pra que uma pessoa quer 1KK ou mais se ele pode viver tranquilamente com 3K/mês, já que não gasta com quase nada além do básico, acho que os exageros não são bons, apesar que se a pessoa se mostra satisfeita assim também não há muito o que dizer.
    Carro facilita sim a vida em algumas situações, e facilita também em relação as mulheres, pelo menos facilita em relação a maioria das mulheres, acho que negar isso é tapar o sol com a peneira. Claro que o ideal é encontrar uma mulher que nos valorize como pessoas e não que foque no que temos, ou em status, mas namorar ou conseguir encontros amorosos dependendo exclusivamente do transporte coletivo é mais difícil.
    O que não podemos é entrar de cabeça nessa questão do ter pra ser. Não podemos atribuir valor aos outros e a nós mesmos pelo que temos, até porque entre outras coisas a vida é dinâmica, hoje temos algo, amanhã podemos não ter mais.
    Tem pessoas que se apegam com o status de seus empregos por exemplo, aí quando são mandadas embora ficam mais perdidas que charuto na boca de bêbado. Demoram para se recuperar emocionalmente, temos que procurar evitar isso, nada de nos enxergar através do que temos, mas o post foi realista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon,

      Acho que todos os tipos de divida sao ruins, exceto da casa propria quando voce da una entrada de pelo menos 50%.

      Nao tem formula certa, cada um sabe o que e melhor pra si mesmo, no meu caso carro sempre foi fundamental, mas veja que no seu caso nao e, entao varia muito mesmo.

      Por mais que a mulher ame, pegar onibus pra sair, correr riscos e com esta sociedade que diz que quem anda de onibus e perdedor, nao tem jeito, as mulheres vao pender mais para o lado de caras que tem carro, como voce disse, nao adianta tampar o sol com a peneira, e ainda sou eu que falam que acredita em mulher excecao.

      Tive sorte no amor, conheci minha esposa quando nem tinha carro, logo, foi amor no começo e fui crescendo financeiramente ao longo do tempo.

      A questao do Ter para Ser concordo demais, uma pessoa que me ve na rua nunca vai imaginar o patrimonio que formei com a forma com que me apresento, e formando patrimonio voce nao liga tanto mais para o que as pessoas falam. Eu atualmente nao dou a minima, e olha que meus amigos mais proximos andam de carrao e eu ia com minha pickupzinha simples tranquilo, pois no fundo eu sabia o quanto eu tenho e meu valor, nao precisava estar de Hilux para me passar por fodao.

      Sobre o exemplo da demissao, vi isto algumas vezes e nos ultimos dias com as demissoes.

      O cara que era gerente se apegou tanto qo cargo que esta totalmente perdido agora, sem saber o que fazer, pois se apegou ao cargo e nao fez o plano B ...

      Excelente comentario, um abraço

      Excluir
    2. você diz: "Não tem formula certa"
      No meu caso que só um cara atípico (totalmente racional, usando a matemática), alugo o imóvel pagando com a renda dos juros gerado por 1/3 do valor "pedido" pelos proprietários. Já no caso do carro, optei por comprar um 0 KM , pois as locadoras de carro no Brasil cobram muito caro. Rodando 1200 Km por mês, gasto 350,00. Se incluir o custo de oportunidade caso a grana estivesse aplicada, o custo mensal sobe pra 650,00. Ainda bem abaixo do valor da locação.

      Excluir
  15. Olá VDC,
    Faz pouco tempo que vendi o meu carro. Eu tive alguns confortos, mas o prejuízo que tive foi muito grande (depreciação, manutenção, impostos, seguro, combustível, etc). Era para eu ter um patrimônio bem maior, mas o carro me tirou um pouco disso.

    Eu não tenho problema nenhum em usar metrô ou uber. Você abordou muito que carro facilita para pegar mulheres e isso é verdade, mas se elas não vão me querer só porque não tenho carro o problema é delas.

    Eu só pretendo comprar carro só quando tiver bem financeiramente. Isso é um plano meu. Cada um tem o seu plano e esse é o meu.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala CI,

      Seu carro era popular? Estranho, em teoria nao deveria gastar tanto assim, mas claro, quando voce pega carro usado aquela primeira revisao fica cara, apos e so trocar oleo, seguro (e eu sempre usei associacao que e mais barato que seguro) e o ipva mesmo.

      Pra mim carro sempre ajudou.

      Uber apareceu por agora, eu falo de 10 anos antes, onde era so taxi mesmo.

      Nao tem receita certa, se voce prefere esperar, nao tem nada de errado, e nao quis dizer que carro e mandatorio pra arrumar mulher, mas ajuda sim a manter relacionamentos, nao apenas por mulher gostar de carro, na verdade e mais pelo conforto propiciado para o casal mesmo.

      Compre o carro quando estiver tranquilo, pois gera gastos sim.

      Um abraço CI

      Excluir
    2. Meu carro era popular 1.6 completo. Não tive muitos gastos. Até que eram baixos, mas a depreciação foi grande e também não usava muito. Para mim não fazia sentido ter um carro parado. Então resolvi vendê-lo.

      Abraços.

      Excluir
    3. Entendi.

      No meu caso uso todo dia.

      Impossivel viver sem carro pra mim.

      Abraço

      Excluir
  16. Olá VDC!

    Cara comecei igualzinho a você! Com a diferença que quando sai do emprego fixo para o estágio tive paz (ganhava mais, trabalhava menos)
    A minha opinião sobre carros é a seguinte, um carro te dá tempo e liberdade sem contar a segurança. Logo, a um custo a se pagar por isso. Mas daí te pergunto, quanto vale o tempo que você ganhou?



    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala II,

      Se carro e igual a tempo e buscamos a IF para ter todo o tempo do mundo, entendo que ao comprar um carro comprei um pedaço da IF rsrs.

      Sem zoeira agora, eu penso por este lado mesmo, sei que gerou custos, mas, e o prazer de passar em casa antes da facul, de poder ir numa festa sem preocupar com horario de onibus, nao ter que viver correndo por fazer meu proprio horario.

      Ate hoje em dia mesmo, se eu fosse de onibus ou metro pro trabalho eu economizaria, mas, eu pago pelo meu conforto, e pra ter este conforto é obrigacao minha conseguir aumentar meu aporte e renda.

      Desde que comecei carro sempre foi o luxo que inclui. Pode ter atrapalhado um pouco juntar dinheiro, mas, do que valeria ter 300K a mais, se eu tivesse perdido 10 anos de vida?

      Eu optei por ir juntando e vivendo, e hoje na casa dos 30 anos nao me arrependo, na verdade acho que valeu a pena demais.

      Estamos juntos neste pensamento.

      Valeu II, um abraço

      Excluir
  17. VdC, mais um post excelente. Já percebi que tá ralando nesse carnaval, hein!

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala MP,

      Enquanto alguns reclamam e ficam no mesmo mimimi de sempre falando que carnaval nao presta e isto e aquilo, estou aproveitando os dias livres.

      Neste exato momento que lhe respondo estou pesquisando lotes e olhando casas a venda, fazendo um benchmarking com concorrentes e planejando o futuro.

      Pouco me.importa bloco de carnaval, escola de samba, se vou sair pra beber ou nao, eu penso em mim e é isto que eu acho que todos deveriam fazer: Ser egoista, um egoista do bem.

      Abraço

      Excluir
  18. Olá VdC.
    O que você acha de planos de saúde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Anon,

      Na minha empresa tem, entao ja ganho de brinde o plano.

      Se eu nao tivesse, faria as contas se valeria a pena pagar medico particular quando necessario ao inves de pagar plano.

      Motivo: Plano de saude esta igual sus mesmo e cobra muito caro pra nao usarmos.

      Abraço

      Excluir
  19. Tema polêmico hein VDC... rsrs

    Olha, eu tenho carro e digo: é óbvio que é um passivo, disso não tem como fugir. Mas como você pontuou no texto, o carro te dá conforto e no meu caso permitiu alguns freelas que sem ele eu não teria. Os 30 minutinhos a mais antes de dormir e o banho antes da faculdade não tem preço, sua vitalidade e energia tem de ser contabilizadas sim e não apenas o dinheiro. Sem contar que onde moro não tem metrô e muito menos uber, é busão ou fretado pra se deslocar e o seu horário tem de ser perfeitamente sincronizado com eles, senão...

    Carro dá gasto sim - no fechamento deste mês fiquei negativo por causa dele - mas o meu é um carro simples abaixo de 20k e não foi financiado.

    Abraços e Suce$$o amigo VDC!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Amigo Noimon,

      Concordo 100%.

      Gera gastos, mas tem seus beneficios.

      Eu nao sei se teria aguentado o pique da faculdade, da pos graduacao sem carro.

      Paguei sim, mas paguei eliz.

      Tambem gastei bastante com carro este ano (troca e revisao), mas faz parte.

      Um abraço e apareça mais, ta sumido

      Excluir
  20. VC,

    Discordo totalmente do seu post, rs.

    Carro, para mim, é uma coisa absolutamente desnecessária. Faço tudo a pé, afinal, não sou aleijado, e, em distâncias maiores, recorro ao combo Uber + Transporte Público.

    Não vejo graça NENHUMA em ficar igual um macaco dentro de um sofá motorizado, como diz o grande Frugal Simple, que por sinal está sumido...

    No seu post faltou falar ainda que carro é um filho:

    Financiamento, seguro, combustível, manutenção, IPVA, etc.

    E se o carro for zero então, aí é tirar o atestado de burrice máxima.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala IL,

      Este tema e polemico, nao dava pra ter todos concordando rs.

      Discordo de voce, respeitosamente.

      Se tivessemos um transporte publico que funcionasse, poderia ate ser possivel nao ter carro, mas no meu caso nao da mesmo, preciso ter um carro e acho que carro é a base pra viver bem, sair, passear, namorar, etc.

      Ja errei comprando carro zero, quem nunca errou rs, mas acho que vale pelo menos uma vez pela sensacao.

      Abraço

      Excluir
  21. VdC,

    acho que cada caso é um caso.

    Já tive um carro, que utilizava todo dia para tudo, ganhava tempo indo trabalhar (rodava 100km td dia de trabalho) e utilizava em todas as saídas. Mas a cidade que eu morava era NECESSÁRIO ter um carro, pois tudo era longe e o transporte público deficiente.

    Mudei de cidade e trouxe o carro, passei um ano com ele aqui e ele ficou mais parado do que rodando, pois morava próximo do trabalho e ia a pé (mudei a pouco tempo e agora vou de metrô), toda vez que saio consigo utilizar transporte público, ônibus ou metrô, ou uber. Atualmente penso em comprar uma moto só para facilitar a ida a algumas praias mais próximas.

    A pessoa tem que analisar a real necessidade de se ter um carro. Mesmo sendo um grande passivo (o meu antigo gastei na faixa de 3.500 temers com IPVA, seguro e manutenção no último ano, sem contar com gasolina) o carro facilita muito a vida de quem tem.

    Abraços,
    Cauchy Investidor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola CI,

      Se a cidade oferece transporte publico de qualidade, ai sim o veiculo se torna opcional. No meu caso sempre foi mandatorio.

      Todos sabemos que gasta, mas vai da decisao pessoal de cada um.

      O unico luxo que mantive durante 10 anos de trabalho foi manter um veiculo, isto nao reduzo dos meus gastos mesmo, pois realmente preciso.

      Achei que a moto se.encaixara bem no seu caso.

      Abraço

      Excluir
  22. Caro amigo, post para polemizar heim? Mas vai minha opinião:

    Achei muitos dos argumentos BEM matrixianos mesmo, coisas como "Ter um carro na sociedade é mostrar que você tem condições, que você tem uma base, e se a vida funciona assim é você que vai mudar o padrão? Não mesmo."

    Isso é o maior mantra do consumismo: possuir bens para passar a imagem para os outros de que você tem condições de ter aquilo. Não estou dizendo que é o seu caso, hoje, claramente você possui condições de ter possuir um veículo e não há nada de errado nisso, o dinheiro é seu, as escolhas e as consequências são suas.

    Porém, percebo que seu post irá influenciar várias pessoas a adquirir esse passivo, pois elas não terão discernimento suficiente de perceber que a sua situação ao comprar um veículo é diferente da que elas vivem.

    Quando você diz que é um pensamento "que vai contra o que a maioria prega", temos que lembrar que essa "maioria" citada na verdade é uns 40 pingado que possui blogs de finanças.
    Seus argumentos é justamente o que a grande massa pensa. Que carro = conforto, que carro significa que você é alguém, e que carro lhe trará mulheres e respeito.

    "Nós" da finansfera não somos a resistência? haha. A "Sociedade" define sim vários padrões, mas é a mesma sociedade falida, sem valores, corrupta, que só vive o hoje e só vive de imagem.

    Cara, eu gosto demais de carros! Mas minha racionalidade fala mais alto.
    Meu primeiro e unico carro que tive, comprei 0km, com desconto absurdo e paguei a vista. Vendi, 2 anos depois, com 10% de depreciação.

    Carro 1.6, hatch "decorado esportivo", o banco de trás já conheceu algumas menininhas... mas, depois de algumas mudanças na minha vida, resolvi vender.

    Hoje para sair, uso o Uber.
    Em cidades como SP, BH, CWB ou POA, uso o combo Uber + Transporte público.
    Preciso viajar e é 'curta distância'? Alugo um carro.

    Adianta ter carro se não dá pra sair e tomar umas com os amigos? Hoje, uma saída de uber sai 15 reais para cada. De carro, além de todos os custos indiretos (depreciação, seguro, impostos), teria que arcar com gasolina, estacionamento, e, se a pessoa for responsável, ficar a noite sem beber.

    Ter um carro é uma questão de escolha. Vai de cada um, de cada necessidade, e de como cada um sente como isso irá agregar em sua vida, seja no conforto, seja na praticidade, ou seja até mesmo na imagem.
    Eu sou "julgado" por algumas pessoas, pois como um engenheiro, 29 anos, com um bom salário (e quase 300mil na conta) não tem carro?
    Mas são essas mesmas pessoas que vem me pedir dinheiro emprestado... olha só..

    Particularmente, não ligo.
    Eu não tenho carro. Não tenho teto. E se ficar comigo é porque gosta. hahahahaha

    Provavelmente terei carro somente quando eu tiver uma família, com filhos, esposa... aí eu vejo mais sentido, mas por enquanto, tá bom!

    Grande abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Japa,

      Polemica total rsrs.

      Nao tenho nem o que complementar nesta descricao tao completa.

      Eu criei o post para mexer um pouco com o padrao.

      Note que eu falei sobre meu começo, eu nao tinha nsda de patrimonio, e o carro me ajudou muito, semprr mantive carro e mesmo assim consegui juntar.

      Logo, mesmo que o veiculo traga custos, nao e este vilao que a blogosfera prega.

      Carro te da liberdade, e pagamos o preço por isto.

      Se eu começasse do zero novamente, manteria meu carro rss.

      Abraço amigo Japa, bom seu pensamento

      Excluir
  23. Olá confrade VDC (Viver de Carro hahahahah)

    Como você mesmo previu este é um post polêmico. Vi que há vários contrapontos nos comentários e claro era de se esperar.

    Como você bem sabe eu já tive carro e fiz um post quando tinha me decidido por compra-lo. Não deu outra, choveu de comentários dizendo que eu estava entrando na matrix, que iria torrar todo o meu pequeno patrimônio etc. Infelizmente eles estavam certos pois durante o período que fiquei ele eu praticamente não sai do lugar.

    Mesmo comprando o carro a vista (13K na época) e com salário mensal de 2k não consegui fazer minha carteira evoluir dados os custos que ele me proporcionava. Ai depois daquele episódio do acidente resolvi vende-lo de vez. Dali em diante meu patrimônio foi só crescimento, até hoje.

    O fato é que esse lance de comprar ou não um veiculo tem dois lados. No seu caso ajudou em muito na questão do conforto e praticidade e de uma forma indireta ajudou a dar um up na sua carreira. O que não quer dizer que isso vá acontecer com as demais pessoas pois cada caso é um caso. Eu acredito que para aqueles que já estão na vida dos aportes a mais de 5 anos se abdicando de tudo e todos em prol de ver o patrimônio crescer mas que não conseguem se desenvolver profissionalmente e e nem socialmente creio que vale a pena arriscar e consumir parte do pl para adquirir esse passivo para ver se alguma coisa muda. Caso contrário negativo.

    No meu caso a decisão da venda do meu carro foi uma decisão acertada. Simplesmente fiquei apenas com minha moto que me serve muito bem com baixo custo e agilidade. essa questão de colocar a vida em risco tem que ser considerada por mais remota que ela seja. Afinal não é apenas em cima de uma moto que as pessoas morrem.

    Na minha humilde opinião acredito que para quem está começando a carreira profissional e que deseja ao mesmo tempo montar uma carteira pensando na independência financeira ao longo do tempo não deve ter preocupações com mulheres e complemento que adquirir um carro no inicio da jornada é perda de tempo e dinheiro. No máximo uma moto já resolve afinal ela nos leva no mesmo lugar tão mais rápido e mais barato. Mais que isso é jogar dinheiro fora. E se bater uma chuva bora botar uma capa que o problema ta resolvido. Não viemos a esse mundo para agradar a ninguém se não a nós mesmos.

    Claro que não precisamos também ficar se matando de trabalhar por 10 ou mais anos juntar sei lá 200k para só depois comprar esse benedito.

    Carro é só depois de um tempo quando já tivermos uma careira consolidada, com uma reserva de emergência montada, coisa que em 05 anos ou menos dá para se obter. Ou em ultimo caso, quando quisermos montar uma família.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando entrei no meu emprego a alguns anos atrás, um colega meu de faculdade me perguntou porque eu não comprava um carro (financiado é lógico). Eu tinha uns 2 meses no emprego e praticamente nada de dinheiro aportado.
      Na verdade ele apenas repetiu um raciocínio que é muito popular.

      Carro = Status/dinheiro/independência. Tudo isso entre outras coisas = PPK
      Sem Carro = Sem status/quebrado/dependente. Tudo isso entre outras coisas = 100 PPK

      Esse é um dos raciocínios embutidos no subconsciente masculino. E como foi falado pelo Pobre Japa, se você trabalha a algum tempo, mesmo em profissões mais humildes ou se você trabalha num bom cargo/empresa, ou é no mínimo de classe média/média e não tem carro ou tem carro velho, muitos se perguntarão o porque da sua situação ser essa, por mais bizarro que pareça.

      Excluir
    2. A vida e esta mesmo amigos, nao trm jeito, somos taxados pelo que temos.

      MC, mas voce tinha moto e carro, era um ou outro, acho que a decisao de manter a moto foi acertada.

      Um abraço amigos

      Excluir
  24. O consevador SIM mangina rackeou o VDC kkkkkk é a cara dele esse post.

    ResponderExcluir
  25. Que bom ler esse titulo: "Comprar o Primeiro Carro - O Primeiro Passo para Crescer na Vida!"

    Sei q estou no rumo para "crescer na vida": comprei um carro de 100.000 reais. Dei entrada de 20%, financiei o resto. Pago 5k de seguro, mais 1k de imposto, mais uns 10k a 15k de manutencao, gasolina e estacionamento por ano.

    Mas nada disso importa.

    Pq, afinal.... Eu dei o "primeiro passo" para crescer na vida.

    Abraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IM,

      Nao, o texto nao disse isto e voce entendeu a ideia rs.

      Carro simples. Pague a vista. Viva.

      Abraço

      Excluir
    2. Fala VDc, blz?
      Eu entendi.. So quis provocar...
      E concordo com o viver. Antes eu tinha carro e tinha necessidade.... Hj nao mais.
      Meu "viver" hj está mais ligado a viagens...
      Mas ter um carro é mto importante principalmete se tiver necessidade.
      Abraco

      Excluir
    3. Fala IM,

      Pois é, eu também estou gostando de viajar agora, e olha que eu nunca tinha viajado antes e achava que era bobeira.

      Carro é muito pessoal, no meu caso ajudou demais, por isto citei este exemplo no texto.

      Conte-nos sobre suas viagens, volte com seu blog.

      Abraço

      Excluir
  26. Eu gosto da ideia,claro que como você citou precisa ter a cabeça no lugar pra não fazer loucuras,mas acho importante de tempos em tempos melhorar seu padrão de vida Boa deixa mais motivados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IC,

      Nao da mesmo pra ficar 10, 15 anos so poupando e deixando de viver.

      Devemos sempre manter um padrao de vida simples, mas algumas regalias sao necessarias pois a busca da IF e longa.

      Abraço

      Excluir
  27. Parabéns pelo post!
    Apesar de me considerar uma pessoa extremamente frugal, creio que carro é algo que, na maior parte das situações, a nível de Brasil, é essencial. Estamos em um país em que o transporte público, via de regra, é subumano, e, a não ser que você more em frente ao ponto de ônibus ou estação de metro, carro passa a ser uma necessidade.
    Na verdade, nem sei por que esse assunto causa tanta celeuma na blogosfera de finanças. Quem não tem condições de comprar/manter um carro popular para atender suas necessidades (necessidades, não luxos) deveria investir mais em capacitação e ganhar salários melhores, podendo manter o carro e ainda aportar. Não existe essa excludente que muitos estão comentando aqui, não há contradição em ter um carro e aportar forte - ambos são necessários.

    Renato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato,

      Meu caso é este, transporte público não me atenderia tão bem, e a liberdade de ter o carro me faz não pensar em entregá-lo e passar a usar uber e taxi. Não dá.

      Sua resposta é baseada no que eu penso: Se o carro dá despesa, tem que investir mais pra ganhar mais.

      Com carro eu ia pra faculdade, fui pra pós-graduação, fazia hora extra no trabalho, e podia passear sempre.

      Imagina ter vivido 10 anos enclausurado dentro de casa por não ter carro.

      A comodidade do uber é excelente, mas, nada melhor que pensar "vou sair agora", tirar o carro e ir embora.

      Penso igual você, excelente comentário.

      Um abraço

      Excluir
  28. Não compre um carro sem antes ler este post...
    http://abacusliquid.com/consumidor/prisma-2015-preco/
    rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hauehuha cobrar 30% do seu adsense desta postagem kkk.

      Um abraço Uo, e o blog aqui sempre esta de portas abertas p/ o Abacus Liquid e Web Informado.

      Excluir
  29. Muitos perseguem a IF para ter mais tempo para fazer o que gostam, mas não percebem que um carro para seu uso diário lhe dá exatamente isso: mais tempo para você fazer o que gosta.
    Se você gosta de ir ao supermercado/açougue e voltar carregando 20kgs em sacola de plástico, seja feliz. Se você gosta de ser encoxado no ônibus lotado, seja feliz também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon,

      Pois é, até citei esta equação: Se o carro me dá mais tempo, e a IF significa todo tempo do mundo, comprar o carro foi comprar um pedaço da minha IF rs.

      É bem pessoal, mas no meu caso eu não me veria sem carro viu, bem difícil.

      abraço

      Excluir
  30. Parabéns pelo blog mas sou obrigado a discordar dessa postagem.
    Ter um carro é sinômino de status social, disso eu não tenho dúvidas, mas também representa um gasto gigantesco.
    Em algumas publicações financeiras, já foram realizados cálculos e se tudo for colocado na ponta do lápis sai mais barato, em alguma vezes, até andar de taxi por incrível que pareça.
    No quesito mulheres, as "biscates" que se aproximam, nesses casos, tem que ser tratadas como elas merecem mesmo "interesseiras" tipo assim: "Você dá uma volta no meu carrão eu transo contigo e para humilhar ainda ofereçer um dinheirinho no final. Afinal esse tipo de mulher não vale nada mesmo.
    Aposto que no dia que a gente encontra uma garota legal a última coisa que ela vai querer saber é o modelo de carro que possuímos. Mulheres assim eu aprecio e dou valor, no restante, merecem o tratamento de descartáveis e fúteis.
    E vem reclamar que os homens não querem mais compromisso.
    Não se dão valor e querem ser valorizadas.
    Um desabafo de quem já foi muito preterido por não ter carro.
    Não me entrego no caminho da independência financeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anon,

      Com certeza é gasto sim, inclusive tive mais gastos com meu novo carro ... Conto no próximo post.

      É amigo, eu também já sofri quanto adolescente sem carro, as meninas da minha rua não davam bola pra gente, só pra quem tinha carro, era complicado mesmo.

      Concordo que mulher boa mesmo não olha se você tem carro, mas hoje em dia é muito raro achar uma mulher boa de verdade, hoje em dia é tinder, facebook, instagram, e a galera que só quer saber da sua aparência e status (carro, se mora num lugar legal, emprego, salario, etc.).

      Não desanime, a luta é árdua e os mais fracos ficaram pelo caminho. Siga até o fim.

      Abraço

      Excluir
  31. Fala VdC!

    Post bom e vale a polêmica sim! Não concordo com muitas afirmações ditas, principalmente relativo a questões de auto-afirmação, mulherada, etc.., mas respeito o ponto de vista!

    Cada um tem sua história de vida e sabe o quanto sofre/sofreu no dia-a-dia. Por isso, aceito e concordo com a opinião de adquirir um veículo próprio, desde de que de forma consciente, como fizeste.!

    Particularmente, ralei muito de ônibus em minha vida, comprei uma moto em 48x, tive 3 carros usados bem antigos e só agora depois de meus trinta e tantos anos tenho um carro zero. Burrice? Para alguns sim, mas para mim e minha família, paga-se os momentos de diversão e aperto que passamos!

    Abcs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Noob,

      Legal Noob. Concordo com seu ponto de vista, acho que carro e a hora certa de comprá-lo (ou não) é muito da história de cada um mesmo.

      Por isto eu disse que não tem uma regra correta sobre o caso, apenas expus minha opinião e foi bom receber este tanto de comentários rs.

      Abraço

      Excluir
  32. Realmente, carro é um tema polêmico. Como gosto de polêmica, eu possuo dois veículos, um celta e um fluence.

    Você não imagina o tanto de comentários depreciativos que recebi quando adquiri o segundo carro, as pessoas diziam que eu estava louco, onde já se viu um cara solteiro e sem filhos com dois veículos? Paciência, estou bem e feliz com os dois.

    No mais, concordo com o título do seu post, pois sair do transporte público no Brasil é uma questão de segurança, higiene e autoestima.

    Durante a graduação utilizei o transporte público, era o único da minha turma que ia de ônibus, 90% tinham carro e os outros 9% iam de carona, todos me viam como estranho.

    As pessoas têm que entender que gastos são necessários na vida e que se forem devidamente programados, contribuem para a independência financeira, afinal, as relações sociais se baseiam na troca, não existe ninguém que sempre ganhou em toda sua existência.

    Normalmente os seres humanos que buscam melhorar a parte financeira tendem para a avareza, pois buscam economizar a qualquer custo e acabam perdendo a racionalidade.

    A diminuição nos aportes em decorrência da aquisição de um veículo automotor é evidente, pois gasta-se com combustível, seguro, IPVA, licenciamento, manutenção (programada e não programada), fatores que diminuem consideravelmente os aportes, em contrapartida, as pessoas se esquecem que a busca por melhores condições de trabalho/salário deve ser uma constante,de forma a minimizar o impacto negativo decorrente das despesas com o veículo.

    Muitos veem apenas as despesas do carro, mas deixam de observar que a aquisição do mesmo contribui para a liberdade e conforto de quem o adquire, e, por conseguinte, uma melhora na autoestima, com a melhora da imagem que a pessoa tem de si mesma, desde que não penda para o lado da acomodação, a busca pelo avanço patrimonial tende a aumentar, pois a aquisição de bens funciona como um estímulo a continuar, ou seja, é uma recompensa pelo esforço empreendido, podem criticar a questão da aquisição de bens materiais como fator motivador, mas cada pessoa possui o motor da sua motivação.

    Um dos fatores de suma importância para a independência financeira é a estratégia, são as metas e os parâmetros traçados que convergem para a concretização do objetivo final, os gastos com o veículo não podem ser vistos como vilão e ser o fator primordial para poupar durante vinte anos e não ter um carro, moto, ônibus, trailer, fusca etc.

    A maioria das pessoas sob o manto estatal têm gastos, portanto, a aquisição deve ser condicionada a realidade, o consumo está presente na nossa sociedade e não deve ser visto como algo negativo, pois contribui para o avanço da sociedade, em decorrência do aprimoramento das tecnologias existentes e disponibilizadas ao grande público.

    Por fim, creio que a forma que você abordou o tema, o fato de referir que o veículo ajuda a "pegar mulher" tenha ocasionado os leitores a associar o post com a matrix, afinal, de acordo com o atual politicamente correto da finansfera não se pode falar em pegar mulher e gastar dinheiro, ainda mais as duas coisas juntas, pois qualquer coisa que envolva pegar mulher e gastar dinheiro está relacionado a matrix, qualquer tema fora de aporte, frugalidade, rentabilidade, são uma afronta a busca da independência financeira e devem ser extirpadas do debate.

    ResponderExcluir
  33. Penso contigo da mesma forma, gaste dinheiro onde se gasta tempo, como eu fico boa parte do meu tempo dentro do carro natural que seja algo confortável e prazeroso.

    ResponderExcluir
  34. Posts polêmicos são os melhores!
    O fato de ter um carro pode sim melhorar a qualidade de vida. Moro numa cidade com transporte público deficitário e sem Uber, meus pais moram a mais de 100km de distância onde só tem ônibus uma vez por dia, meu namorado mora a mais de 100km também e se ele não tivesse carro, provavelmente não estaríamos juntos, pois perderíamos os fins de semana na estrada, dentro de um busão!
    Eu não tenho um carro hoje, mas com certeza a minha vida seria mais fácil se tivesse! Por isso não sou contra a compra de um carro simples, sou contra a compra de carros além das possibilidades das pessoas e financiamentos onde se pagam 2 carros! Abs

    ResponderExcluir
  35. Eu concordo totalmente em ter um carro simpleszão.
    Eu mesmo possuo um palio que comprei por 6500 com gás, direção hidraulica e ar.
    pago mizeros 250 temers de taxa (pq pelo ano não paga mais ipva) e continuo fazendo meus aportes mensalmente sem nenhum problema.

    ResponderExcluir

Obrigado pela presença! Aprovarei rapidamente seu comentário e responderei brevemente! Grande abraço, VDC - Viver de Construção

Pesquisar no Blog ...

Postagens Populares